Domingo, 07 de Março de 2021
27 99808-4347
Geral Que exemplo!

A incrível história da linharense que quase perdeu tudo para as drogas

... Ela tinha crack na bolsa, e iria usar minutos antes do nascimento da filha, mas ...

26/04/2020 10h08 Atualizada há 10 meses
Por: Redação
A incrível história da linharense que quase perdeu tudo para as drogas

Recebemos uma história verídica, um testemunho de uma leitora que prova: O vício é cruel, e destrói, destrói relacionamentos, famílias, e machuca a alma. Mas a pessoa pode (e deve) abandonar o vício. E foi no banheiro de um hospital que a nossa leitora, personagem principal desse testemunho, se ajoelhou minutos antes de dar à luz á primogênita Maria Cecília, e resistiu à droga que tinha na bolsa. “Lembrei que na bolsa ainda tinha 03 pedras de crack, mas essa menina (Foto da criança maior) foi a motivação para abandonar as drogas! A data de hoje é o aniversário dela, e a data que renasci. A chamo carinhosamente de Meu anjo de luz . Maria Cecília é o nome dela”, contou.

Mas até chegar aí, foram muitos os acontecimentos, e todos os anos a leitora escreve seu testemunho. O que você confere na íntegra abaixo, é o quinto. Confira as fotos entre o texto, e se quiser, faça seu comentário construtivo:

“O Meu 5º Testemunho:  Quando eu estava no mundo perdida, Deus me enviou um anjo para me resgatar da vida vegetativa em que eu vivia. Começamos a sair por uns 03 meses sem compromisso e, logo em seguida, começamos “a ficar” e casamos. Estava casada há 03 anos e bem casada quando eu cansei da monotonia do casamento; afinal meu esposo não bebia. Por nada arrumei uma confusão somente para poder sair à noite: queria curtir a noitada e foi isso que aconteceu. Depois da noitada veio o arrependimento; mas, mesmo assim, eu queria continuar “me divertindo”. Nos separamos. Assim mesmo continuávamos ficando. Três (03) meses depois, já arrependida, pedi a ele para voltarmos. Voltamos; mas com um (01) mês que retornamos ao nosso relacionamento soube que estava grávida! 😱 Pronto pensei: “e agora o que eu faço”? Se eu contar para ele, vai terminar comigo (a criança não era dele) ... Criei coragem e liguei para ele dizendo que nós precisávamos conversar. Ele estava no trabalho largou tudo e veio até a mim.

Quando ele chegou, disse: o que você tem para conversar ou que houve?

Eu toda sem graça, respondi: estou grávida! Assustado, ele perguntou: de quem?

Respondi: de fulano!

Ele nervoso, disse: poxa vida Zulima, com tanto remédio e camisinha que o posto de saúde dá e você engravida! Eu com os olhos cheio de lágrimas peço a ele dinheiro para abortar. Ele olha e diz: eu não vou te dar dinheiro nenhum para fazer isto! Assuma as suas responsabilidades, o que essa criança te fez para você querer tirar a vida dela?

Depois de muito tempo conversando ... ele fala: eu não sou o pai dessa criança, mas vou fazer de tudo como se fosse minha!

Pronto! Problema resolvido.  Quando reatamos não foi nada fácil para ele; pois virou motivo de chacota no bairro e até mesmo no serviço: ele sempre ouvia comentários desagradáveis. Fiquei quieta até o sexto mês de gestação. Não saía, não bebia e nem usava drogas; mas, depois “pirei de novo”.  

Aí começou tudo de novo... briguei com ele para poder curtir novamente. E foi assim até o dia em que a neném nasceu!  Mas, todos os dias eu ligava para ele ou mandava msgs. No entanto, ele não retornava ou respondia minhas msgs. E, assim foi o meu ritual durante 03 meses.

A cada dia que passava, eu estava afundando cada vez mais. Até cachaça, eu já estava tomando para aceitar a sua rejeição. 

Não estava sendo nada fácil para ele. Afinal ele me assumiu grávida de outro. Passou por tantas humilhações para chegar na “hora H” acontecer tudo novamente.  Voltei para “o mundo” sem pensar duas vezes.  Nem na minha própria filha eu pensei...

Dessa forma, foi até a reta final da gravidez.  E no dia do nascimento da minha filha, eu já estava há 03 dias sem dormir. Comecei a passar mal e conseguiram me levar para o hospital. Chegando ao hospital (com 05 cm de dilatação e sem sentir dor alguma) os médicos estranharam e, eu continuei como se nada estivesse acontecendo rsrsrs. Quando era, mais ou menos, 05 horas da manhã comecei a sentir as dores. Pois, o efeito das drogas e da cachaça estavam passando. Lembrei que na bolsa ainda tinha 03 pedras de crack (na minha cabeça eu iria sair do hospital para usar). Foi nesse momento que, Deus fez despertar em mim o amor de mãe: Peguei as drogas e fui ao banheiro. Ajoelhei-me e orei pedindo para que Deus enviasse minha filha em perfeitas condições de vida. Ali, naquele momento, joguei as drogas no vaso: eu não nasci para ser escrava do diabo; eu nasci para servir a Deus.

Eu tive minha filha de parto normal, às 06:50 da manhã.

Quando eu vi o seu rosto pela primeira vez, eu disse ali mesmo na sala de parto: “você é meu anjo de luz, minha filha”. “Você foi enviada por Deus para me tirar da escuridão”

Recebi alta do hospital, e chegando em casa e minha primeira atitude foi enviar msg para meu amor.  Havia 03 dias que eu não mandava msg (mesmo estando “no mundo”, não consegui esquecê-lo).

Imediatamente ele me liga e pergunta: “tá” viva? (Ele acostumou com as msgs que eu mandava diariamente; mesmo não respondendo, ele sabia que eu estava “bem ou viva”). Respondi: sim, estou bem! Nossa filha nasceu! Ele com a voz trêmula de choro responde: graças a Deus

Bom o primeiro passo para a liberdade eu já tinha dado, só faltava ele me perdoar. Quando minha filha estava entre 03 a 04 meses, eu pedi mais uma chance... A partir desse momento, nós reatamos e estamos juntos há 05 anos. Eu, totalmente liberta da bebida e das drogas!

Conclusão: quando a pessoa quer mudar e quando se tem uma pessoa que realmente te ama, ocorre o perdão. E até hoje sou grata e sempre serei a Jhone Jácome Ferreira, por não ter desistido de mim. Eu te amo com todas as minhas forças meu amor!!!!  Cinco (05) anos liberta. Que meu testemunho sirva de inspiração para aqueles que querem mudar.

O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.” (As fotos foram enviadas pela leitora.

77 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias