Quinta, 17 de Junho de 2021
27 99808-4347
Polícia Queria receber

Garota de programa inventa estupro, e acaba presa pela PC em Linhares

Cliente que não quis pagar pelo programa, também foi parar na delegacia.

22/01/2020 17h56
Por: Redação
Garota de programa inventa estupro, e acaba presa pela PC em Linhares

Uma tentativa de vingança contra um cliente, acabou mal para uma garota de programa de 19 anos. Ela inventou que havia sido estuprada e até foi à delegacia de Linhares registrar o “crime”, mas acabou presa.

De acordo com o delegado Fabrício Lucindo Lima, chefe da DRL, as investigações ficaram por conta da Polícia Civil de Linhares e Sooretama, após, logo de manhã,  a jovem procurar a delegacia de Linhares para relatar um crime de estupro.

Continua depois da publicidade

Ela disse que seu esposo a levou até a Rodoviária de Linhares para comprar uma passagem de ônibus para Vitória, pois pretendia visitar a mãe.  Antes de comprar a tal passagem, a versão da jovem diz que ela foi ao bar comprar um pastel, e ali foi abordada por um estranho, que estava com uma arma de fogo e a bordo de uma Hilux Toyota, de cor preta.

Ainda de acordo com a versão da garota de programa, o estranho a obrigou a entrar no veículo, levando-a para um motel da cidade, onde a teria estuprado.  Segundo a Vítima, depois de sair do motel, o casal seguiu sentido Sooretama, onde o homem a teria ameaçado de morte afirmando que lá mesmo enterraria seu corpo.

Continua depois da publicidade

O homem, na versão da investigada,  abriu a porta do veículo e disse para ela sair correndo. Após fugir, a suposta vítima, então, veio para Linhares e registrou a ocorrência de estupro. “Imediatamente os policiais iniciaram as diligências investigativas, tanto em Linhares, quanto em Sooretama, e já no final da manhã encontraram e conduziram para a delegacia o suposto suspeito do crime de estupro”, contou o delegado.

Na Delegacia de Linhares o caso foi esclarecido: “Não ocorreu estupro, conforme foi relatado pela vítima. Segundo o que foi apurado, a vítima fazia programas sexuais e combinou o preço de seus favores com o homem. Após a prestação do serviço sexual, o homem informou que não iria pagar o programa e a deixou em Sooretama”, explicou o chefe da DRL.

Ainda segundo o delegado, a garota informou que inventou a história do estupro para vingar-se do cliente que não pagou pelo programa, porém, acabou presa pelo crime de falsa comunicação de crime, com pena  de prisão de 01 a 06 meses. O homem, que tem 34 anos, vai responder pelo crime de ameaça, com pena igual. “Como se tratam de crimes de menor potencial ofensivo, foram liberados e responderam criminalmente perante a Justiça”, concluiu o delegado.

Continua depois da publicidade
9 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias