Terça, 22 de Setembro de 2020
27 99808-4347
Aniversariantes Efraim

Garotinho determinado: Chega o dia da festa de Efraim, mas ele não quer parar de vender jujuba

Ele ganhou refrigerante, bolo, bola de soprar e até cama de presente!

24/05/2017 06h48
Por: Redação
Garotinho determinado: Chega o dia da festa de Efraim, mas ele não quer parar de vender jujuba

Lembra dele? Foi manchete no Site Eu Vi em Linhares por insistir até convencer o pai: Queria vender doces para poder comprar refrigerante, um bolo e bola de soprar para a própria festa de aniversário. O pai tentou tirar a ideia da cabeça do filho, que se chama Efraim e tem apenas 7 anos, mas não teve jeito e precisou arrumar uma maneira de observar como ele agiria enquanto vendia doces em um movimentado ponto de ônibus, mesmo assim, somente depois de voltar da escola.

Leia também - Garotinho determinado vende doces para conseguir arcar com a própria festa de aniversário

Desse modo a história de Efraim chegou à nossa Redação (27 99808-4347) e depois serviu de pauta para outros veículos de comunicação, afinal, a persistência do garotinho é mesmo de chamar atenção.

Leia ainda - Que lindo! Efraim é alvo de entrevistas e terá festa de aniversário tão sonhada

E assim que a manchete foi divulgada, muitas pessoas também entraram em contato com a nossa Redação (27 99808-4347) querendo ajudar a realizar o sonho do menino determinado. Foram contatos locais, de outras cidades do Estado e do Brasil inteiro e até do exterior.

Surpreso com a repercussão, o pai se emocionou e agora, dividindo a felicidade com o filho, conta que está praticamente tudo pronto para a festa, marcada para este sábado (27). “Recebemos ajuda de várias pessoas do Estado e de fora do País, que se comoveram com a história dele. Quero muito agradecer a todas elas e ao Site Eu Vi em Linhares, que mostrou esse desejo do meu filho”, disse José Carlos Neves dos Santos, de 48 anos, pai do garotinho.

Presentes

José Carlos enviou fotos da alegria do filho nestes dias antes da festa, e disse que o menino ganhou uma linda cama, alguns presentes como bola, camisa do Flamengo, e uma bermuda, além de dois pares de sandálias com personagens infantis.

Já para a festa, marcada para as 19h00 em um espaço que fica na Avenida Nogueira da Gama, 1759, no bairro Colina, ao lado da Câmara Municipal, o garotinho ganhou refrigerantes e outros “apetrechos” que o pai relatou, porém, não detalhou se haverá ornamentos além de bolas, e, ainda, bolo e refrigerantes.

Menino não quer parar de vender doces e sonha com curso de inglês

Estudioso, determinado e certo de que o que quer mesmo é uma vida digna, Efraim, conforme explicou José Carlos, não quer parar de vender doces no ponto de ônibus que fica perto do trabalho do pai, mas o genitor disse que não sabe o que fazer. “Estão me olhando como se eu fosse o culpado e incentivador de ele querer trabalhar tão cedo. Claro que ensino o caminho que ele deve  andar, até porque a Bíblia ensina isso, mas, graças ao bom Pai, para comer e viver uma vida simples com minha família eu faço. Só não tenho como fazer festa de aniversário”, relata José Carlos.

E agora o pai, que há duas semanas não permitiu mais que o garotinho fosse vender doces, enfrenta outro dilema: O menino enfiou na cabeça que quer fazer um curso de Inglês. “Até que fui ver se daria para pagar com o dinheirinho que ele juntou, mas não dá não. É mensalidade fixa e foge completamente das nossas possibilidades”, explicou o pai do menino.

Por enquanto, a ideia de vender doces está paliativamente preenchida com a movimentação em torno da festa de sábado (27), mas vez por outra... “Ele fala se depois eu vou deixar que volte ao ponto de ônibus para vender jujuba e eu desconverso, mas ele fica triste e vai para um canto da casa”, revela o genitor.

O pai diz que essa força de vontade por parte do menino começou da própria criança e que não saberá o que fazer para que agora, que conseguiu a festa de aniversário, o pequeno Efraim tire da cabeça a ideia de trabalhar para conseguir as coisas que o pai não pode dar a ele. “Eu estou pensando em leva-lo para conversar com alguma autoridade e depois esperar se ele não apresente momentos de tristeza como fica quando eu digo que ainda é muito cedo para trabalhar”, concluiu José Carlos.

Nota: O contato com o pai do menino pode ser mantido através do telefone (27) 99890-3384.

6 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias