Quinta, 26 de Novembro de 2020
27 99808-4347
Polícia Foi após denúncia

Advogado é algemado após ser levado para a DRL em ocorrência de som alto no bairro Shell

Foi na madrugada de domingo (13), nas repartições de uma loja de conveniência de um posto de combustíveis.

14/09/2020 07h46 Atualizada há 2 meses
Por: Redação
Advogado é algemado após ser levado para a DRL em ocorrência de som alto no bairro Shell

Um advogado de 28 anos foi algemado no bairro Shell, e conduzido à 16ª Delegacia Regional de Linhares (DRL), por volta das 4h de domingo (13), após uma ocorrência de som alto recebida pela Polícia Militar via denúncia, diz relatório policial. O som vinha de um veículo.

A guarnição constatou no local, uma loja de conveniência de um posto de combustíveis, que o som vinha de um automóvel, conforme denunciado, e que constatou o som extremamente alto. Foi então tomada as medidas administrativas, ou seja, Auto de Infração de Trânsito.

De acordo com a Polícia Militar, durante o trabalho dos policiais, o jovem compareceu gritando os PMs, e dizendo que eles não poderiam fazer aquilo. Foi pedido para o indivíduo se afastar, mas ele continuou alterado no local, diz o relatório.

Ainda segundo a PM, quando a guarnição se aproximou do rapaz, este disse que é advogado e proferiu a frase “isso não vai ficar assim”. Diz o relatório que um dos policiais tentou conversar com o indivíduo, mas que ele falou “não tenho nada para falar com você, polícia”, e virou de costas e saiu.

Foi dada voz de prisão ao mesmo, que, segundo o relatório, aparentava estar sob efeito de bebida alcoólica e  por estar alterado foi necessário usar o compartimento de segurança da viatura para a condução até a delegacia.

No trajeto, cita o relatório, o jovem voltou a dizer que é advogado e que tudo s resolveria quando ele chegasse na delegacia.  E na delegacia, ele foi algemado, pois, conforme relataram os policiais, começou a ficar exaltado, e a guarnição preveniu possíveis reações.  O supervisor da guarnição compareceu para acompanhar a ocorrência, e o delegado de plantão tentou fazer contato com um representante da OAB, Ordem dos Advogados do Brasil, mas não conseguiu falar com ninguém.

O advogado, conforme consta no relatório, foi conduzido à delegacia por motivo de “Resistência/ Desobediência/DESOBEDIÊNCIA/Desacato. Nós entramos em contato com a Presidente da OAB, Subseção Linhares, Alcídia Pereira de Paula Sousa, mas a ligação não foi atendida. Estamos aguardando retorno da demanda.

Mesmo não citando nome do advogado, e nem dados do veículo, ele tem espaço aberto caso queira se identificar e se manifestar sobre o assunto: 27 99808-4347.

Atualizada às 18h06 de 15/09/2020 - O advogado e integrante da Comissão de Prerrogativas da OAB do ES, Antônio José de Mendonça Júnior, entrou em contato com nossa redação e nos informou que após a Comissão de Prerrogativas buscar informações acerca do episódio envolvendo o advogado, constatou que não houve prisão do profissional. Ressalta ainda que todas as medidas referentes ao caso estão sendo analisadas para tomar as providências cabíveis, tendo em vista que o advogado, conforme diz a nota, não cometeu nenhum ato ilícito.

11 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias