Sexta, 18 de Setembro de 2020
27 99808-4347
Geral Vídeo no posto

Posto de Linhares emite nota sobre vídeo ao vivo de reclamação de consumidora ao pagar gasolina

Vídeo não está mais no perfil da consumidora. Na nota, o posto chamou a exposição de caluniosa, e diz que ainda estuda outras medidas legais.

11/09/2020 13h39
Por: Redação
Posto de Linhares emite nota sobre vídeo ao vivo de reclamação de consumidora ao pagar gasolina

A reclamação de uma motorista que discordou do preço cobrado em um posto de combustíveis de Linhares, quando ela abasteceu o veículo na noite de quarta-feira (9), gerou uma reação da marca, amplamente exposta nos milhares de compartilhamentos do vídeo ao vivo feito pela consumidora no local. Ela usou seu perfil na rede social para mostrar a situação.

A reação da rede da qual o posto faz farte gerou uma “Nota Oficial” (confira a íntegra abaixo), onde a empresa explica o respaldo legal para cobrar valor diferenciado quando o pagamento do combustível é feito através do cartão de crédito. O vídeo foi apagado pela consumidora, segundo o posto, após contato do departamento jurídico. O posto, contudo, deixa claro: “Ainda estuda outras medidas legais pela exposição caluniosa de nossa marca”.

Confira a nota oficial divulgada pelo posto de combustíveis: “A Rede de Postos Ouro Negro vem se pronunciar sobre o vídeo produzido por uma usuária identificada como Luana Tomaz Garcia em suas redes sociais, alegando ter sido “furtada” por nossa empresa em razão do preço do combustível ter sido alterado de R$ 4,39 para R$ 4,54.

No vídeo, transmitido ao vivo no Facebook e distribuído em grupos de mensagens a cliente reclama que o valor era de R$ 4,39 e foi alterado para R$ 4,54 quando disse que ia pagar no crédito.

Sobre isso é preciso esclarecer que não só postos de combustíveis, mas como qualquer estabelecimento, podem cobrar preços diferenciados pelo pagamento feito em dinheiro, em cartão de débito ou em cartão de crédito. Essa permissão é dada pela Lei n. 13.455/2017 em seu Art. 1:

Art. 1º Fica autorizada a diferenciação de preços de bens e serviços oferecidos ao público em função do prazo ou do instrumento de pagamento utilizado.

A usuário deixou de observar os imensos letreiros na entrada no posto que informam com clareza e exatidão os preços praticados à vista e à prazo.

Cumpre ressaltar que a usuária em nenhum momento procurou nenhum dos funcionários do posto para esclarecimentos.

Em vez da informação, buscou a publicização do problema, iniciando um vídeo ao vivo com conclusões totalmente equivocadas e informações que não condizem à realidade.

Em um dos trechos ela chega a dizer que o posto demorou para emitir a nota porque adulterou o preço, quando na verdade a demora se deu pela recusa de autorização de pagamento de um de seus cartões de crédito.

O Posto Ouro Negro além de ser autorizado pela BR Distribuidora, é amplamente fiscalizada pelos órgãos competentes (Procon, Ministério Público, Sindicatos) e nunca sofreu qualquer condenação pela prática desleal de comércio.

Após ter sido contactada pelo nosso departamento jurídico, a usuária removeu o conteúdo de sua rede social.

O Posto Ouro Negro ainda estuda outras medidas legais pela exposição caluniosa de nossa marca.”.

Nós não conseguimos contato com a consumidora, e estamos esperando retorno à demanda enviada através de mensagem, no perfil que ela possui na rede social, onde expomos nosso contato: 27 99808-4347.

19 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias