Terça, 20 de Outubro de 2020
27 99808-4347
Polícia Engoliu crack

Mistério: Jovem morre no HGL após supostamente engolir pedras de crack

O rapaz, conforme amplamente divulgado na internet, veio a óbito ontem a tarde.

07/08/2019 06h06 Atualizada há 1 ano
Por: Redação
Mistério: Jovem morre no HGL após supostamente engolir pedras de crack

A morte de um rapaz de 18 anos, no Hospital Geral de Linhares (HGL), é um dos motivos mais comentados em grupos de aplicativo desde a noite desta terça-feira (6). O paciente teria vindo a óbito após supostamente ter engolido pedras de crack, a fim de "não levantar suspeitas", e até fotografia dele circula nos grupos de mensagens simultâneas.

"Jovem por nome Yure, 18 anos de idade, deu entrada no HGL na tarde de hoje, após ingerir aproximadamente 25 pedras de substância supostamente crack.. Não resistindo e vindo a óbito no fim da tarde". Esta foi a informação encaminhada por muitos leitores para a nossa Redação, juntamente com a foto do rapaz.

Imediatamente começamos as apurações, mas apenas as pessoas que divulgaram a informação a confirmaram, entre elas, uma que atua no setor funerário. E um entendedor do assunto, falou: "A causa da morte, nessas circunstâncias, obrigatoriamente tem que ter uma ocorrência policial registrada, tanto da suposta abordagem quanto do que aconteceu no hospital, exceto se a Polícia Militar preferiu aguardar para constar tudo em um mesmo Boletim Unificado", explicou o entendedor, que é ligado à segurança pública local. E a fonte prosseguiu: "Ele (o rapaz) pode ter consumido o material bem antes de ter sido levado para o hospital, ou pode ter passado mal assim  que consumiu a droga via oral. Mas o fato da morte precisa estar contido em boletim policial".

Nós obtivemos a informação nos primeiros minutos desta quarta-feira (7), de que tudo o que foi compartilhado nos grupos de mensagens simultâneas não procede. Uma testemunha disse que o ocorrido foi no bairro Palmital, e que, na verdade, a Polícia Militar ajudou no caso. "Não vou entrar no mérito, mas eu passei lá na hora que esse jovem estava totalmente alucinado e querendo se matar. Aí, algumas pessoas pediram pra ele se acalmar, e chamaram as ambulâncias e só depois que passou uma viatura policial é que a situação começou a ter controle, sendo que os policiais chamaram socorro também. Não foi abordagem policial, aliás, os policiais militares foram os únicos que foram lá quando a gente tentou ligar para pedir ajuda", explicou a testemunhas.

Ainda de acordo com a testemunha, as pessoas que passaram e viram quem ajudava, junto com os policiais militares, certamente pensaram que foi abordagem, mas isto não procede. Também não procede, segundo a testemunha, o fato de o indivíduo ter engolido pedras de crack: "Ele não engoliu nada, ele usou muita droga e estava tremendo e babando tipo como se tivesse uma convulsão. Ficamos lá quase uma hora até a Polícia Militar chegar, e a ambulância o socorrer", acrescentou.

Nós continuamos apurando, e esperamos retorno da demanda enviada ao setor de comunicação do 12º Batalhão da Polícia Militar.

7 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias