Quinta, 05 de Agosto de 2021
27 99808-4347
Polícia Mariângela

Elucidação: Mariângela lutou para não ser estuprada, diz titular da DHPP

Ação da equipe do delegado André Costa, da DHPP local, se deu nesta segunda (10).

10/12/2018 12h33
Por: Redação
Elucidação: Mariângela lutou para não ser estuprada, diz titular da DHPP

Está elucidado o homicídio que vitimou Mariângela Riad Ferzali, de 43 anos, a Anjinha, no dia 24 do mês passado, na residência dela, na Avenida João Felipe Calmon, Centro de Linhares.

O Delegado Andrè Costa, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, DHPP local, disse ao Site Eu VI em Linhares que Mariângela lutou para não ser estuprada.

Continua depois da publicidade

Um adolescente de 16 anos foi apreendido nesta manhã de segunda-feira (10), ou seja, a resposta da Polícia Civil veio rápido. A apreensão se deu por ato infracional análogo ao crime de Homicídio Qualificado, disse o delegado. O menor confessou o ato infracional.

Mariangela Riad Ferzali foi morta a golpes de faca, e a mãe dela se desesperou ao encontrar a filha envolta a sangue, caída na sala do local onde ela morava (Leia clicando aqui detalhes de como foi). Foram encontradas duas perfurações no pescoço dela. "Logo após o crime foram iniciadas as investigações, e colhidos diversos elementos dentre os quais, imagens de vídeo monitoramento", disse o delegado.

Continua depois da publicidade

Segundo André Costa, também foi apreendido objeto pertencente ao autor no local do crime, o que levou a D.H.P.P a representar pela internação do adolescente. "A medida foi deferida pelo Poder Judiciário e cumprida na data de hoje. Ele confessou o ato", completou o delegado.

A versão do menor

Ao confessar o ato infracional, segundo André Costa, o infrator declarou que foi convidado pela vítima para ingressar no imóvel e manter ralações sexuais com ela.

Continua depois da publicidade

Durante o ato sexual, segundo o menor, a vítima manifestou dissenso em continuar a relação sexual, razão pela qual o infrator a matou. "Ocorre, no entanto, que as incongruências lançadas pelo informante em seu depoimento, somadas aos demais elementos colhidos na investigação, levam a Polícia à conclusão de que o infrator utilizando-se de grave ameaça consubstanciada no emprego de faca, tentou estuprar a vítima, no entanto, ante a resistência resolveu por matá-la, com o propósito de ocultar o ataque sexual", concluiu o delegado.

16 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias