Sábado, 22 de Janeiro de 2022
27 99808-4347
Polícia Preso com amigo

Morte de Ruben: Daniel confessa autoria, e PM apreende celulares, droga, dinheiro e balança de precisão

Homem que o ajudou no esconderijo mentiu para a PM sobre materiais apreendidos, cita relatório.

08/01/2022 11h44 Atualizada há 2 semanas
Por: Redação
Morte de Ruben: Daniel confessa autoria, e PM apreende celulares, droga, dinheiro e balança de precisão

Um intenso trabalho do setor de inteligência da Polícia Militar, juntamente com os PMs que atuam fardados, acabou em um cerco por todos os lados de uma casa, no Distrito de Barra Nova Sul, e o resultado foi a prisão de Daniel de Melo Barbosa, 31 anos, apontado por imagens de vídeo circulado amplamente nas redes sociais, como autor do homicídio que vitimou Rubem Breda, 20 anos, na tarde de quinta-feira (7), no balneário de Guriri, em São Mateus. As roupas que o investigado usou quando saiu correndo em direção ao veículo Hyundai Tucson de cor prata usado na fuga, foram encontradas em poder dele, e o relatório policial cita ainda o nome de um amigo do investigado, dono da casa onde o rapaz procurou abrigo para se esconder. Ele também foi levado para a se explicar na delegacia de São Mateus, onde o Tucson, dinheiro, droga e celulares também foram entregues à Polícia Civil pelos PMs.

Clique aqui e siga o Eu Vi em Linhares no Instagram

Continua depois da publicidade

Após conseguir identificar a placa do veículo, a Polícia Militar chegou a Daniel e no minucioso trabalho a P2 passou às equipes onde o rapaz estava escondido. Uma equipe de militares, cita o relatório policial, chegou pela frente do imóvel e outra chegou pelos fundos. E na rua de trás da casa a equipe viu o investigado portando uma mochila marrom clara, e deu ordem de parada. Identificado e revistado, foi encontrado no bolso da bermuda uma quantia de R$ 714,00 em espécie, já dentro da mochila estavam dois pedaços grandes de maconha, a chave do carro usado na fuga, um dichavador, um chip de celular, novo; além de uma camisa amarela e uma bermuda de cor escura com detalhes em azul.

Cita o relatório que as roupas encontradas na mochila seriam as que Daniel estaria usando no momento do homicídio. O rapaz foi algemado e, ainda de acordo com o relatório, perguntado sobre o crime, ele teria confessado ser o autor dos disparos após uma briga com a vítima.

Continua depois da publicidade

Disse ele ainda, conforme consta no relatório, que após empreender fuga pela estrada do Rio Preto, procurou seu conhecido no distrito de Barra Nova Sul, onde passou a noite, acrescentando que a arma ele teria jogado em um rio.

Na casa, com a permissão do morador, os militares não encontraram a arma, mas foi encontrado uma quantidade de maconha, uma balança de precisão, e uma bolsa que seria a mesma que estava com o suspeito na ocasião do crime.  O morador disse que os materiais pertenciam a Daniel.

No quarto do imóvel foram encontrados dois celulares, um deles, conforme disse o morador, seria de seu uso particular e o outro da namorada que teria esquecido ali, mas a versão caiu por terra quando em um dos aparelhos os militares encontraram fotos de Daniel, o que confirmou que o aparelho pertencia a ele.

Continua depois da publicidade

O morador foi confrontado e disse que o celular era mesmo de Daniel, e que este havia chegado na sua casa na noite anterior, por volta das 23h, e dormiu em um colhão no chão. Acrescentou que soube do homicídio, mas somente que tomou conhecimento de que o autor era Daniel somente no dia da prisão, não tendo como retirá-lo de sua casa.

O aparelho celular que pertencia a Daniel, segundo o morador, teria sido comprado por R$ 200,00 e a maconha encontrada na casa também pertencia a Daniel, mas que também é usuário da referida droga.

Continua depois da publicidade

O carro usado na fuga estava cerca de quatro ruas distante do endereço onde se deu a prisão, e a via não tem saída. Segundo a Polícia Militar, nada de ilícito foi encontrado dentro do veículo onde estavam a CNH do suspeito no encosto do braço central.

O morador, conforme cita o relatório, foi conduzido para a delegacia a fim de responder pela ajuda dada à Daniel, e por guardar materiais ilícitos na casa, além de mentir  sobre os pertences de Daniel, alegando serem dele.

Daniel foi levado para a delegacia no compartimento de segurança da viatura, e o morador no banco. Uma advogada acompanhou a ocorrência na delegacia, e o relatório cita que ela estava representando tanto Daniel quanto o morador da casa onde ele estava escondido. E o espaço está aberto caso ela queira se manifestar: 27 99808-4347.

8 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias