Sábado, 22 de Janeiro de 2022
27 99808-4347
Polícia Investigação

Confessou: Motorista de aplicativo estupra passageira embriagada e é preso em Linhares

Delegado disse que foi realizado intenso trabalho investigativo, e que contou até com exame de DNA.

08/01/2022 08h44 Atualizada há 2 semanas
Por: Redação
Confessou: Motorista de aplicativo estupra passageira embriagada e é preso em Linhares

Foi preso pela Polícia Civil da 16ª Delegacia Regional de Linhares, no bairro Interlagos, um homem identificado como Wesley Ferreira da Silva, 24 anos, apontado, de acordo com o delegado Fabrício Lucindo Lima, como autor de crime de estupro contra uma mulher da mesma idade, fato registrado no dia 11 de abril do ano passado (2021). Ainda de acordo com o delegado, as investigações mostraram que o suspeito é motorista de aplicativo, e a vítima estava sob efeito de bebida alcoólica, quando entrou no carro dele após sair de uma confraternização. A mulher, segundo as investigações, teria sido estuprada pelo fato de o motorista ter se aproveitado da situação de vulnerabilidade.

 

Continua depois da publicidade

Clique aqui e siga o Eu Vi em Linhares no Instagram

“Ele (o motorista) estava sendo investigado pela prática de crime de estupro de vulnerável. As investigações mostraram que no dia 11 de abril de 2021, por volta da 01h30 da manhã, o motorista de aplicativo, aceitou um pedido de corrida de duas moças que estavam saindo de uma confraternização, e percebendo que uma delas dava sinais de que estava bem embriagada, inverteu o percurso, deixando primeiro a outra em casa e levou a de 24 anos para um local deserto e a estuprou, aproveitando-se da situação de vulnerabilidade dela”, detalhou o delegado.

Continua depois da publicidade

E o chefe da 16ª DRL, continuou: “Depois de ficar mais de uma hora com a vítima, a entregou em casa, como se nada tivesse acontecido. Como a vítima não tinha muita lembrança do que tinha acontecido, foi necessário um grande trabalho investigativo dos policias da Deam de Linhares, coletando informações dos aplicativos, localização, imagens de vídeo monitoramento, e principalmente exames periciais realizados pela Perícia Criminal da Polícia Civil, que comprovaram o estupro e indicaram a autoria pelo preciso exame de DNA”, concluiu o delegado.

E após a prisão o motorista foi interrogado novamente e confessou o crime, em seguida foi encaminhado para o presídio de Xuri, em Vila Velha, a Disposição da Justiça. A defesa dele tem espaço aberto caso queira se manifestar: 27 99808-4347.

Atualização às 10h24 – Uma pessoa que se identificou como pai do citado, entrou em contato com a nossa Redação e disse que “a delegada agiu injustamente”, acrescentando que o filho se apresentou e que “não foi levado para Xuri, e ainda encontra-se na delegacia". O homem disse ainda que “se não tirar a foto vou processar o site”, e que o filho seria solto ainda neste sábado, dia 8. Nós explicamos que todas as informações, conforme consta na notícia, foram passadas pela Polícia Civil. E acrescentamos que não apenas o Eu Vi em Linhares, mas que o delegado  enviou para todos os veículos de comunicação. Por fim, pedimos que o advogado do citado entre em contato conosco, para nos enviar a posição da defesa do investigado. O espaço continua aberto: 27 99808-4347.

Continua depois da publicidade

Atualizada às 10h47 – Uma mulher entrou em contato com a nossa Redação e disse que é advogada do citado, e também mencionou a palavra "processo", em tom de exigência para que a notícia seja “tirada do site”. Nós pedimos a identificação da advogada e ela negou-se em se identificar, voltando a citar a palavra “processo” e sempre citando “meu cliente”, porém, negando-se a se identificar. Nós explicamos tudo o que foi explicado ao homem da atualização anterior, mas a mulher desligou o telefone no meio do diálogo. O espaço continua aberto, caso a defesa do investigado queira se manifestar: 27 99808-4347.

Atualização às 15h12 – A defesa do citado nos enviou a seguinte nota: “NOTA À IMPRENSA: A defesa de WESLEY FERREIRA DA SILVA vem, por meio desta nota, esclarecer os fatos como realmente ocorridos. De início, necessário apontar que o investigado compareceu por sua própria vontade à delegacia para prestar esclarecimentos. Ao término de seu depoimento, foi preso ainda dentro da delegacia, sem oferecer qualquer resistência, com base em um mandado de prisão expedido em sigilo na noite de 06 de janeiro do corrente ano. No depoimento em delegacia, diferentemente do alegado, o acusado não confessou a prática de crime algum, na medida em que revelou que a suposta vítima, em suas investidas, tomou a frente dos atos libidinosos e estava plenamente consciente de seus atos, contrariamente ao que, de forma ardil, alegado. Tanto é que ela forneceu ao acusado o telefone de sua mãe, para que mantivessem contato posteriormente ao encerramento da corrida. Importa informar também que não houve conjunção carnal entre o investigado e a suposta vítima. Afirmamos que a condenação e a divulgação de informações sensíveis não são papel das forças policias. O que se vê aqui é a polícia utilizando-se da imprensa para inflar a vontade popular contra o investigado, em claro desrespeito ao que preceitua a Lei de Abuso de Autoridade e as normas constitucionais vigentes. A verdade dos fatos será provada no curso do inquérito e de eventual processo criminal, sendo, ao final, demonstrando que WESLEY é inocente das acusações que lhe são imputadas.”

Continua depois da publicidade
13 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias