Sábado, 18 de Setembro de 2021
27 99808-4347
Geral Muito frio

Julho termina com onda de frio intensa. Saiba o que é previsto para Linhares

As informações são do Climatempo.

25/07/2021 09h47 Atualizada há 2 meses
Por: Redação
Julho termina com onda de frio intensa. Saiba o que é previsto para Linhares

Julho se despende com frio muito intenso em vários estados do Brasil, temperaturas negativas, muita geada e novamente a chance de neve ,e por mais de um dia consecutivo. Tudo isso é consequência de uma grande e forte frente fria que avança sobre o país na última semana de julho de 2021, que virá associada a uma massa de ar frio de origem polar  muito forte, possivelmente a mais forte deste ano até agora, e a um ciclone extratropical, que será importante para a ocorrência da neve e de outras precipitações de inverno.

Clique aqui e siga o Eu Vi em Linhares no Instagram

Continua depois da publicidade

Em Linhares

Hoje (25), de acordo com o Climatempo, será parecido com ontem: Sol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite. Temperatura mínima de 16º e máxima de 27º. Confira abaixo previsão para os próximos dias, e depois o restante do que está previsto para acontecer no Brasil:

Continua depois da publicidade

Saiba porque a massa de ar frio de origem polar desta frente fria está sendo tão comentada e o que realmente é possível ocorrer, com análises cuidadosas dos meteorologistas da Climatempo: Não vamos  “esconder o frio”, mas vamos esclarecer a situação meteorológica do fim de julho de 2021 que, de fato, é especial, vai exigir esforços redobrados de toda a nossa equipe de operação e de comunicação, para monitorar e informar para o grande público, os muitos eventos meteorológicos excepcionais associados com a passagem desta intensa frente fria de inverno sobre o país.

 

Quando a frente fria vai chegar?

Continua depois da publicidade

A frente fria que traz a forte massa de ar frio chega ao Rio Grande do Sul na segunda-feira, 26 de julho, com chuva e queda da temperatura no estado. No dia 27 de julho, terça, as nuvens com chuva e o ar frio se espalham sobre Santa Catarina, Paraná e pelo oeste e sul de Mato Grosso do Sul.  São Paulo tem dia quente e o extremo sul do estado poderá  ter alguma chuva.

Durante os dias 28 e 29 de julho, a frente fria avança sobre os estados do Sudeste e do Centro-Oeste, mas a chuva será em poucas áreas de alguns estados. O ar frio de origem polar entra  mais forte sobre o Brasil causando queda de temperatura mais intensa no Sul, em muitas áreas do Sudeste e do Centro-Oeste e chegando a Rondônia, Acre e ao sul do Amazonas.

Continua depois da publicidade

No dia 29 de julho, a Climatempo prevê que esta frente fria tecnicamente já terá efeito sobre o sul do Pará, Tocantins e oeste/sul da Bahia, especialmente estimulando alguma nebulosidade, mas a chance de chover é baixa. O vento frio chega moderado a estas áreas e ameniza o calor.

Nos dias 30 e 31 de julho, esta frente fria deve continuar seu deslocamento sobre o Nordeste, estimulando a chuva pelo leste da Bahia e Sergipe.

Quando será o pico do frio?

Para a maioria das áreas do Brasil que serão influenciadas por esta forte massa de ar de origem polar, o pico do frio acontece nos dias 29 e 30 de julho, quinta e sexta-feira, quando se espera as mais baixas temperaturas no país, dentro dos dias de atuação desta onda de frio.

É nesses dias que o centro da massa de ar frio, que é a região onde o frio é mais intenso, estará ingressando (29) e ainda passando sobre o Rio Grande do Sul. Mas é possível que no dia 31 de julho, algumas regiões gaúchas esfriem um pouco mais.

É fato que esta onda de frio será tão intensa quanto a observada entre os dias 19 e 21 de julho de 2021, especialmente na região Sul do Brasil. Por isso, áreas que já foram prejudicadas devido às duas ondas de frio que atingiram o país, devem manter alerta redobrado ao final do mês para o frio que volta a tomar conta de parte do território brasileiro. 

Qual a menor temperatura estimada nesta onda de frio?

Até o dia 24 de julho, a menor temperatura registrada no Brasil  em 2021 foi de -8,2°C, no dia 20 de julho, em Urupema, localizada na parte mais elevada da serra de Santa Catarina, conforme medição do Epagri-Ciram.

Risco de morte de pessoas

 

 

O resfriamento sobre os estados da Região Sul, em São Paulo e em Mato Grosso do Sul, em áreas do centro-sul do Rio De Janeiro, centro-sul de Minas Gerais, Triângulo Mineiro, sul de Goiás, sul e oeste de Mato Grosso será intenso nos últimos dias de julho de 2021. Além da baixa temperatura, a sensação térmica de frio será aumentada pela ação de ventos moderados. 

A sequência de dias gelados poderá causar, direta ou indiretamente, a morte de pessoas em situação vulnerável e de moradores de rua, quer por hipotermia ou uso de aquecedores inadequados, fogareiros, pequenas fogueiras à base de algum combustível. Atenção especial com as pessoas idosas e crianças.

Temperatura abaixo de zero

A passagem desta nova massa de ar frio tem potencial para realmente gelar o Brasil novamente. Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Sul de Minas e o Sul do Rio de Janeiro poderão registrar temperaturas negativas.

O atual recorde de frio no Brasil, considerando locais habitados, com atividade humana regular, é de -8,2°C no dia 20 de julho, em Urupema, cidade na parte mais elevada da serra de Santa Catarina, conforme medição do Epagri-Ciram.

No dia 1 de julho houve registro de -9,9°C na estação localizada no parque nacional do Itatiaia, a 2450 m de altitude. Por ser um lugar desabitado, a Climatempo adota como critério não considerar os dados desta estação para efeito de temperaturas recordes no Brasil

Neve 

O ar frio intenso combinado à entrada de umidade prevista para o final da próxima semana, favorece a ocorrência de diversos tipos de precipitação invernal, inclusive queda de neve! A chance de nevar prognosticada pelos modelos atmosféricos é muito maior agora do que nos eventos das ondas de frio de meados de julho e da virada de junho para julho.

A neve é esperada para os dias 28 e 29 de julho nas áreas de planalto e serra do Rio Grande do Sul, planalto sul, serra, planalto norte e meio-oeste de Santa Catarina, e no sul do Paraná. (Fonte e fotos: Climatempo).

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias