Domingo, 28 de Novembro de 2021
27 99808-4347
Polícia Preso

DJ Jean Du PCB é condenado a nove anos de prisão por estupro em Linhares

Mandado de prisão contra o músico, produtor e empresário foi expedido no dia 7 de junho e cumprido na noite do último sábado, quando ele foi preso.

23/06/2021 09h05 Atualizada há 5 meses
Por: Redação
DJ Jean Du PCB é condenado a nove anos de prisão por estupro em Linhares

Preso no último sábado (19), em Vitória, durante um cumprimento de mandado de prisão por estupro, o DJ Jean Carlo Pereira dos Santos, de 27 anos, mais conhecido como "Jean Du PCB", foi condenado, em segunda instância, a nove anos, quatro meses e 15 dias de prisão, em regime fechado, por esse crime. 

A reportagem do Jornal Online Folha Vitória teve acesso à sentença, da 3ª Vara Criminal de Linhares, no Norte do estado. O mandado de prisão contra o músico, produtor e empresário foi expedido no último dia 7 de junho. O processo tramita em segredo de Justiça.

Continua depois da publicidade

Jean havia sido condenado em primeira instância em junho de 2019. Além dele, outros cinco homens foram condenados, em segunda instância, pelo mesmo crime, porém com penas diferentes.

O estupro do qual Jean e outros cinco réus do processo teriam participado aconteceu em julho de 2018, no quarto de um hotel localizado em Linhares. Uma jovem, que na ocasião tinha 21 anos, afirma ter sido abusada sexualmente pelo grupo, após um baile funk em uma boate da cidade. 

Continua depois da publicidade

Na época, seis integrantes de um grupo de funk, que havia se apresentado na boate, foram levados para a 16ª Delegacia Regional de Linhares. Segundo a polícia, a vítima estava embriagada no momento em que teria sofrido o estupro coletivo.

Questionado sobre a condenação de seu cliente e se a defesa irá recorrer da decisão da Justiça, o advogado de Jean Du PCB, Leandro de Oliveira, disse que assumiu o caso recentemente e que ainda não teve acesso a todos os autos do processo.

"Assim que eu estiver por dentro do caso vou marcar uma entrevista com a imprensa para explicar tudo", destacou Leandro, que espera ter um posicionamento sobre o caso ainda nesta semana.

Continua depois da publicidade

A equipe do Folha Vitória também entrou em contato com o advogado Felipe Sanglard, mas ele disse que não faz mais parte da defesa de Jean Du PCB nesse caso. 

Prisão na saída de festa

Continua depois da publicidade

O DJ foi preso na noite do último sábado (19), após sair de um pagode clandestino no bairro Jesus de Nazareth, em Vitória. Jean é famoso no funk capixaba e conta com 116 mil seguidores no Instagram.

Segundo informações da Polícia Militar, houve uma denúncia de que Jean estava no bairro participando de um evento, que contava com uma roda de pagode. O show não deveria acontecer por causa das restrições sanitárias, devido à pandemia.

Os agentes da Força Tática da Polícia Militar foram ao local e abordaram Jean Du PCB quando ele deixava a comunidade, na direção de um veículo Land Rover Evoque branco, que pertence ao DJ. O veículo foi revistado e entregue ao produtor musical do artista.

O DJ foi conduzido para a Delegacia Regional de Vitória. A Polícia Civil informou que, em seguida, ele foi encaminhado para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória, para exames de corpo de delito. No dia seguinte ele foi levado para o Centro de Triagem de Viana. (Íntegra, Folha Vitória). Confira abaixo a íntegra no que o Site Eu Vi em Linhares manchetou em 22/07/2018:

Foi manchete no Eu Vi em Linhares – O Site Eu Vi em Linhares manchetou o ocorrido na ocasião. Abaixo os detalhes de tudo o que foi relatado pelos envolvidos:

Notícia veiculada - Um grupo de jovens que se apresentou em um baile funk que aconteceu em Linhares na noite deste sábado (21), foi prestar esclarecimentos à Polícia Civil após a acusação de uma jovem, que denunciou os rapazes por estupro. Um lençol com vestígios de sangue, além de uma bucha e um pequeno cigarro de maconha foram apreendidos nos quartos onde dois rapazes do grupo estavam hospedado. O BU sobre o caso foi gerado às  09h51 deste domingo (22).

A vítima informou à Polícia Militar que o grupo composto por seis jovens manteve, sem seu consentimento, relação com ela, e que o fato ocorreu em um hotel, no Centro, onde eles estavam hospedados.

Ainda segundo o BU, a jovem aparentava estar muito transtornada e nervosa por causa do ocorrido. Policiais militares a bordo de duas viaturas estiveram no hotel e localizaram G.R.C., 24 anos; R.L.S., 20 anos; J.C.P.S., 24 anos; V.H. C.A., 20 anos; T.R.F., 20 anos; e F.S.F., 18 anos; todos, ainda segundo o BU, reconhecidos pela jovem como os autores do suposto estupro coletivo.

Jovens negam

Cita o BU que G. disse que fez sexo com a jovem com o seu consentimento; enquanto F. afirmou não ter feito nada com ela. Já R., J., V. e T., disseram que foram tocados  (masturbados), mas que a jovem os tocou de livre e espontânea vontade.

O BU relata, ainda, que no apartamento onde G. estava foi encontrado o lençol com vestígios de sangue mencionado acima, e que segundo a vítima, possivelmente este sangue seria seu. Já no quarto onde T. estava hospedado, foi encontrado uma bucha e um pequeno cigarro de maconha, que segundo ele é de sua propriedade, pois é usuário.

Os jovens foram conduzidos para 16ª Delegacia Regional de Linhares sem o uso de algemas. Segundo o BU, eles “estavam tranquilos e obedientes”. A jovem foi conduzida ao Serviço Médico Legal (SML) para exames de corpo de delito, sendo que foram encontradas lesões em seu corpo.

Vídeo x almoço

E ainda na  tarde deste domingo (22), um dos integrantes da banda de funk que foram conduzidos à delegacia fez um vídeo, em que aparece com alguns dos companheiros, almoçando, em um conhecido restaurante, no bairro Conceição. Ele agradece o público que compareceu à boate e diz que “os boatos que estão rolando aí, é tudo mentira”.

Atualização - Mas três, dos jovens acusados pela vítima, estão presos: R. L. S., 20 anos; G.R. C. 24 anos; e  V. H. C. A., 20 anos.

11 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias