Domingo, 01 de Agosto de 2021
27 99808-4347
Geral Problemão

Energia é cortada, e comunidade anuncia protesto em Linhares

Cerca de 10 geradores foram retirados e, desesperados, moradores pedem que políticos eleitos olhem por eles.

03/05/2021 17h38 Atualizada há 3 meses
Por: Redação
Energia é cortada, e comunidade anuncia protesto em Linhares

Se você imaginar a cena de centenas de pessoas desoladas, revoltadas e sem saber o que fazer por conta da falta de energia elétrica, essa cena acontece em Linhares, mais precisamente nos três acampamentos da região do Palhal. É que cerca de 400 pessoas, conforme nos informou Ronaldo Guasti, que faz parte do grupo, estão atingidas por uma ação que aconteceu no final da manhã desta segunda-feira (3), e que pegou todos de surpresa.

Ele disse que todos os geradores foram retirados por carros da EDP Escelsa, e garantiu que ninguém teria sido avisado. O leitor explicou que a comunidade esperava uma solução por parte das autoridades competentes, para que a energia consumida nos acampamentos fosse regularizada.

Continua depois da publicidade

Ao explicar sobre o assunto, Ronaldo expôs: “Nós somos trabalhadores, nós queremos pagar pelo que consumimos, mas para isto precisamos que alguma autoridade veja isso para nós. Aqui tem mulheres grávidas, idosos, crianças de todas as idades, e não sabemos o que fazer, pois o que tem na geladeira está estragando. Esperamos que nos ajudem a legalizar o fornecimento, pois, nós produzimos alimentos, nós ajudamos nosso próximo, queremos pagar pelo consumo, e nós merecemos respeito!”, contou.

O leitor disse que há dois anos a comunidade pede que seja viabilizada a legalidade do consumo, e que por conta da demora, os moradores se uniram e compraram os geradores que foram retirados hoje. “Teve gente que chorou, todos estão revoltados, pois isso nos foi prometido em campanha política. E agora? Cadê aqueles que elegemos? ”, questionou.

Continua depois da publicidade

Protesto – E quem pensa que a comunidade aceitará ficar às escuras, está enganado. Os assentados aguardam por alguma autoridade no local, segundo Ronaldo, “as mesmas que pediram ou mandaram alguém pedir votos, e foram eleitas”. Caso isto não ocorra nas próximas horas, todos na comunidade farão um protesto.

Nós buscamos junto à EDP Escelsa sobre qual é o procedimento para que a energia elétrica chegue aos três acampamentos fora da clandestinidade, ou seja, com cada residência tendo seu talão de luz para pagar no fim do mês. Em nota a empresa confirmou a ação nesta segunda (3), e esclareceu: "A EDP esclarece que realizou hoje (03) uma ação de retirada de ligações clandestinas de energia em áreas não regularizadas em Palhal, Linhares, visando à segurança da população e à qualidade do fornecimento de energia elétrica dos clientes regulares da região. O trabalho foi comunicado antecipadamente ao poder público municipal e teve o apoio da Polícia Militar."

E acrescentou: "A Distribuidora ressalta que a realização de ligações clandestinas pode provocar sérios acidentes, tanto para quem o pratica quanto para a comunidade, além de sobrecarregar a rede elétrica regular com prejuízo para a população, que sofre com a interrupção do fornecimento elétrico nas residências, comércios e vias públicas". 

Continua depois da publicidade
14 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias