Segunda, 12 de Abril de 2021
27 99808-4347
Saúde Dores nas costas

Após 10 anos sofrendo, aposentada revela o que fez para aliviar as dores nas costas

Ela tem 68 anos.

05/04/2021 11h33
Por: Redação
Após 10 anos sofrendo, aposentada revela o que fez para aliviar as dores nas costas

Em meio as notícias de aumento dos contaminados e de uma possível vacina, uma boa notícia para milhares de brasileiros que sofrem de dores causadas por hérnia de disco e nervo ciático soa como ar de alívio.

Dona Francisca, professora aposentada, em uma manhã de domingo em pleno verão de 2010 não conseguiu se levantar da cama por causa de uma dor que irradiava da coxa até as costas, e cada tentativa de movimento era uma dor insuportável.

Continua depois da publicidade

Após dois gritos de dores, seu marido Carlos, acordou e conseguiu ajuda-la e leva-la até o pronto socorro mais próxima, afinal era a primeira vez que acontecia aquilo.

Após uma bateria de exames naquele dia, dona Francisca foi diagnosticada com uma hérnia de disco (L5/S1). Seu médico a explicou que essa doença pode surgir por motivos hereditários, má postura, idade avançada, sedentarismo, traumas diretos, ficar em pé ou sentado muito tempo principalmente no trabalho.

Continua depois da publicidade

Na mesma hora ela já sabia que a idade avançada e os anos em pé na sala de aula lecionando para seus alunos poderiam ser a causa daquela terrível dor que havia sentido ao acordar. Seu médico receitou alguns comprimidos e falou que caso sentisse a dor novamente voltasse ao consultório para tomar medidas mais bruscas.

Aquelas pílulas apenas foram suficiente para adiar em alguns meses o grande pesadelo da dona Francisca. No final do verão de 2010, 2 meses após o primeiro sintoma da hérnia de disco, num dia de fortes raios solares ela acordou e novamente a crise atacou, só que dessa vez foi diferente, quando seu marido tentou ajuda-la, ela não conseguiu sequer ficar em pé, pois a cada pisada era como se uma faca estivesse entrando em suas costas.

Carlos, seu marido pegou uma cadeira de rodas emprestado com um vizinho que tinha uma filha especial e levou a dona Francisca com urgência ao seu médico. Chegando lá mais calma e com a crise controlada, porém sem conseguir ficar de pé ainda, seu médico fez alguns exames e percebeu que seu nervo ciático estava comprimido, o que causou essa crise e o impedimento dela ficar de pé sozinha.

Continua depois da publicidade

“Naquele dia meu médico usou de tudo em mim para que eu não sentisse mais dores, até funcionou por algumas horas, mas logo depois eu já não conseguia firmar o pé no chão, me sentia com o corpo rígido e mal conseguia dobrar ou fazer algum movimento que envolvesse minhas costas. Voltei para casa de cadeira de rodas naquele dia pensando que seria a última vez que a usaria e infelizmente estava enganada! O Carlos teve que comprar uma para mim para casos emergenciais!”

Seu médico aconselhou fazer pilates e fisioterapia para ajudar a alongar e fortalecer a musculatura das costas.

Continua depois da publicidade

“Comecei a fazer fisioterapia e alguns exercícios específicos para quem tem hérnia de disco, mas nada adiantava, só aliviam naquele momento e logo depois as crises vinham novamente... Eu tinha medo de pisar o pé com força no chão, não aguentar de dor e cair para trás, como já havia acontecido antes, e por causa disso vez ou outra tinha que usar moletas ou cadeiras de roda no dia a dia”

Em 2020 a vida de Dona Francisca mudou da Água para o Vinho com esse erro. No final de 2019, após longos anos de crises e crises de dores insuportáveis, Dona Francisca resolveu fazer uma cirurgia para tentar reverter o quadro e voltar a ter a vida normal e sem dores que ela tinha.

A cirurgia foi marcada para Maio de 2020, ela estava ansiosa para tal, mesmo sabendo que poderia ter alguns riscos ou complicações.

“Eu sabia que podia ficar paraplégica por um erro de milímetros, mas eu já não aguentava mais tantas dores, dependendo de outras pessoas para tudo, sem liberdade de fazer o que eu queria na hora que quisesse. Portanto achei que era a melhor decisão, e afinal o Carlos depois de muita insistência minha, concordou comigo.”

 

Mais uma vez o destino pregou uma peça para dona Francisca, e por causa da pandemia, sua cirurgia foi cancelada e adiada para 2021. “Quando me avisaram que a cirurgia havia sido cancelada, pensei até em... para parar de sentir dores... Mas Deus é mais e reservou algo melhor para mim.”

 

Pesquisando sobre novos métodos para aliviar as dores, dona Francisca descobriu que fisioterapeutas americanos haviam desenvolvido uma espécie de cinta capaz de aliviar as dores nas costas.

Ela foi mais a fundo e descobriu que havia uma empresa aqui no Brasil, a Ci-Active que havia licenciado o direito de venda do produto e resolveu testar, já que era mais uma esperança.

“Quando descobri que existia uma mínima possibilidade de me livrar daquele tormento, eu não exitei, entrei no site oficial da Ci-Active, vi que já haviam vários depoimentos de pessoas como eu que haviam usado e que tinha funcionado para elas, e comprei”

Após 3 dias da compra, a Ci-Active da Dona Francisca havia chegado e sua ansiedade já tomava conta de todo o seu corpo, afinal era sua última alternativa.

Dona Francisca, 68 anos, professora aposentada relatou sua experiência com o uso da Ci-Active:

1º dia de uso - Comecei a usar a Ci-Active conforme manual indicado, seu ponto de acupuntura logo atrás da panturrilha onde passa o nervo ciático. Em menos de 3 horas usando, eu já sentia que alguma coisa estava diferente. Senti meu corpo menos rígido e mais leve. Parei de usar naquele dia e fui dormir com a sensação de alívio e ansiedade ao mesmo tempo, era muito pouco tempo, mas já sentia pequenas melhoras na diminuição das dores.

3º Dia de uso – Já um pouco mais confiante, tentei fazer alguns movimentos mais bruscos, mas a dor ainda estava lpa, quando tentei agachar e saltar minha lombar estalou e a dor foi imensa! Sentei no sofá e resolvi ficar usando a cinta por mais uma semana.

8º Dia de uso – Nesse dia eu acordei, e fui direto colocando minha Ci-Active, a cada dia que se passava eu sentia que meu corpo ficava mais leve e que as dores estavam indo embora pouco a pouco, mas logo após o café, tentei agachar e saltar, e para a minha surpresa e do Carlos eu consegui saltar sem sentir dores. Começamos a chorar no sofá da sala, afinal foram 10 anos de tortura e agora finalmente eu havia conseguido fazer um movimento brusco por sem sentir dor.

17º Dia de uso - Já não estava mais me privando de fazer nada, conseguia me locomover sozinha, apenas usando a Ci-Active para todos os lugares, coisa simples como agachar para apanhar algum objeto me deixava muito feliz, e a única que coisa que eu podia fazer, era agradecer a Deus por ter me mostrado esse produto.

Após 2 meses usando a Ci-Active, eu já não sentia mais nenhuma crise, uma dorzinha ali ou aqui, mas nada que me impedisse de ter uma vida normal como antigamente e poder disfrutar com meu marido do que nós construímos.

Quando voltei ao médico após abertura dos hospitais, meu médico ficou espantado de me ver andando normalmente e sem me queixar das dores nas costas e foi logo me perguntando como eu havia conseguido aliviar as dores mesmo sem ter feito nenhum procedimento cirúrgico.

"Contei a ele da Ci-Active e como usei ela para aliviar as dores... mesmo pasmem de como uma simples cinta poderia ajudar num problema tão grave, ele comprou algumas Ci-Active para testar em outros pacientes que também sofriam de dores nas costas e coluna."

"Alguns meses depois ele me ligou para confirmar que realmente a Ci-Active foi a razão de eu ter voltado a ter uma vida normal, já que dos 10 pacientes que ele havia testado, 9 tinham demonstrado melhoras significativas das dores nas costas, lombar e coluna após o uso da cinta"

Hoje a dona Francisca voltou a fazer uma das coisas que ela mais gosta, que é dançar! Ela afirmou que nunca mais teve crises e que as dores nas costas não são mais um problema em sua vida! (Fonte e foto: Notícia da Saúde.com).

2 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias