Domingo, 28 de Fevereiro de 2021
27 99808-4347
Política CM de Linhares

Presidente da Câmara esclarece polêmica de aluguel de carros e fala sobre resultado de levantamento

Nas diversas irregularidades, tem rachaduras em pisos e paredes; Ouvidoria fora dos padrões legais; contratos sem utilização; entre outras.

18/01/2021 14h42 Atualizada há 1 mês
Por: Redação
Presidente da Câmara esclarece polêmica de aluguel de carros e fala sobre resultado de levantamento

Alguns vereadores de Linhares não são habilitados e não possuem carro próprio. E isto tem a ver com a polêmica do aluguel dos carros. Mas o presidente da Câmara Municipal, Roque Chile, explicou tintim por tintim ao Site Eu Vi em Linhares sobre o contrato. E adiantou, sobre outros setores, que em um levantamento inicial, permitiu apontar diversas irregularidades.

O presidente da Câmara Municipal de Linhares (CML), vereador Roque Chile, ao lado do controlador-geral Reofran Pereira, e do diretor-geral da Casa, Eraldo Pilker, apresentou nesta segunda-feira (18) aos demais vereadores e à imprensa, os resultados do diagnóstico estrutural realizado em pouco mais de uma semana.

Apesar de inicial, o levantamento já permitiu apontar diversas irregularidades.  Nessa lista, a gestão encontrou estrutura física danificada (rachaduras em pisos e paredes); ouvidoria fora dos padrões legais; contratos sem utilização; e ausência de programas de segurança obrigatórios, entre outras.

“O levantamento não é conclusivo, porque tivemos bem pouco tempo para realizar esse diagnóstico. Por isso o trabalho terá continuidade até que todos os procedimentos e contratos tenham sido analisados”, explicou o controlador-geral, Reofran Pereira.

Segundo o presidente da CML, Roque Chile, apesar do pouco tempo, já foi possível identificar que a nova legislatura terá muito trabalho para colocar a Casa em ordem, funcionando da forma que deve ser. “Vamos manter o trabalho de análise dos contratos e procedimentos até que tudo tenha sido verificado. Todos nós vereadores teremos muito trabalho pela frente, mas vamos fazer o que for necessário para organizar o legislativo linharense e manter a eficiência e eficácia que é devida”, garantiu o presidente.  

Outra garantia dada por Roque Chile é de que a informação e o conhecimento será um legado da Casa. “Temos efetivos extremamente competentes que não detinham informação, porque esse acesso era vetado por comissionados na gestão anterior. E com duas semanas de trabalho já nos mostraram o quanto são capazes. Tínhamos os cursos de capacitação direcionados, em sua grande maioria, para funcionários comissionados. Isso está errado.  Porque o conhecimento precisa ser um legado da Casa”, detalhou o diretor-geral, Eraldo Pilker.

Com base no diagnóstico, a nova gestão irá elaborar o planejamento estratégico, previsto para ser concluído até o dia 15 de março. Roque esclareceu, ainda, a polêmica dos veículos alugados:

Sobre a renovação do contrato de locação dos veículos, o presidente explicou que abriu mão do benefício por ter assumido esse compromisso com seus eleitores, mas afirmou que não há nenhuma ilegalidade ou imoralidade no uso do carro.

“O direito de abrir mão do carro me cabe e optei por fazer isso. Mas, quero deixar claro que não existe nenhuma ilegalidade, nem imoralidade, no fato de um vereador utilizar um veículo oficial para trabalhar.  Ilegal e imoral seria utilizar esse veículo para compromissos particulares, pra fazer compras de casa, levar o filho na escola ou ir a uma festa, por exemplo", esclareceu.

E justificou: "Mas para fiscalizar as ações, para ir ao local verificar se aquela determinada obra está sendo executada da forma em que foi contratada; para ir a uma comunidade ouvir a demanda da população? Qual a imoralidade nisso, se estamos pagando uma diária para esses carros que corresponde a menos de 1/3 do valor praticado pelo mercado?”, respondeu o presidente por telefone para o Eu Vi em Linhares. Ele enfatizou ainda que o valor de R$ 285 mil é anual e não mensal como algumas pessoas imaginaram.

O vereador Roque Chile também explicou que se fosse abrir uma nova licitação, isso iria implicar em pelo mesmo dois nesses de interrupção do serviço, o que impediria alguns vereadores de trabalhar.

Entre os agora 17 edis, sendo 4 apenas reeleitos, perguntamos se no grupo existe alguém inabilitado e que não possui carro. “Temos, sim, vereadores que não possuem carro próprio, que não são habilitados ou que moram muito distantes da Casa. Aquele que entender que não precisa utilizar esse direito, basta comunicar e o valor daquele veículo deixará de ser pago. Da mesma forma, se a maioria dos vereadores concordar que não é necessário um carro para cada um, que o trabalho pode funcionar com sistema de agendamento, basta comunicar à presidência por meio de um ofício e iremos adotar essa forma. Fora isso, é denúncia infundada, e aí sim é uma postura que jamais trará resultados e benefícios para a sociedade de Linhares”, finalizou Roque Chile. 

18 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias