Segunda, 13 de Julho de 2020
27 99808-4347
Política Dinheiro público

Sindiplúblicos: Governo Casagrande irá gastar mais de R$ 27 milhões em publicidade

Na divulgação, Sindipúblicos expôs dois prints da publicação no Diário Oficial.

24/05/2020 07h32
Por: Redação
Sindiplúblicos: Governo Casagrande irá gastar mais de R$ 27 milhões em publicidade

Site dos Sindipúblicos: Uma concorrência para publicidade de R$ 72 milhões vem sendo renovada em plena pandemia pelo governo Casagrande. Mais de R$ 27 milhões estão empenhados, no exercício de 2020, para o Estado gastar com propaganda e publicidades diversas.

Conforme pesquisa no Portal da Transparência e nos diários oficiais do exercício de 2020, verifica-se a renovação de diversos contratos vinculados à Concorrência nº 001/2015 de R$ 72 milhões. Apenas para o Detran, ocorreu a renovação de contrato no valor aproximado de R$21 milhões em plena pandemia

Já foram desembolsados mais de R$ 14 milhões de reais com propaganda, publicidade e publicações em 2020. Com as atuais renovações contratuais, os maiores valores ficam com o Detran, R$21 milhões, e Sedu, R$7 milhões, aproximadamente.

Também chama atenção contratos firmados com empresas que realizaram demissões e reduções salariais. Entre essas está a Record News, que fechou um contrato de R$1,1 milhão durante a pandemia, para transmissão de aulas online. Mesmo com esse contrato milionário, a empresa reduziu contratos de trabalhadores, indo contra a promessa de Casagrande que empresas que não respeitassem os seus empregados não teriam benefícios do Estado.

Contrato esse também questionável, haja vista que o Espírito Santo possui duas emissoras públicas, a TVE, do próprio executivo e a TV Ales, da Assembleia Legislativa que ao invés de serem utilizadas para a transmissão das aulas foram deixadas de lado, preferindo, o Governo Estadual repassar verbas milionárias a um grupo de comunicação privado. Nossa equipe de reportagem questionou a Sedu, responsável pelo contrato, o motivo da não utilização das emissoras públicas, mas até o fechamento dessa reportagem não obteve nenhum retorno.

O vultoso valor em publicidade chama atenção em pleno período de Pandemia, com redução da arrecadação do Estado e solicitação de cortes nos demais poderes. Isso demonstra a urgente necessidade dos órgãos de controle (interno e externo) verificarem a real necessidade desses contratos, mantendo apenas o estritamente necessário público para campanhas educativas permitidas pela legislação. (Fonte: Site Sindipúblicos).

7 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias