Domingo, 29 de Novembro de 2020
27 99808-4347
Educação Até Enem foi adiado

Como a pandemia de gripe espanhola afetou a educação brasileira em 1918

Mais de 100 anos depois...

21/05/2020 06h12
Por: Redação
Como a pandemia de gripe espanhola afetou a educação brasileira em 1918

A pandemia de coronavírus afeta a vida de estudantes de todo o Brasil. Escolas e universidades estão de portas fechadas e o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) acaba de ser adiado. Essa situação pode ser extraordinária, mas não é nova. Em 1918, a gripe espanhola causou transtornos semelhantes para a educação brasileira.

Assim como agora, instituições de ensino foram fechadas Brasil afora para tentar conter o avanço do vírus influenza, há pouco mais de cem anos. Com o objetivo de combater a doença e amenizar seus efeitos, os parlamentares da época apresentaram uma série de projetos. Uma das propostas determinava a aprovação automática de todos os estudantes brasileiros, sem a necessidade dos exames finais.

Citando sua própria experiência como professor da Escola Politécnica (atual escola de engenharia da UFRJ), o então senador Paulo de Frontin (RJ) foi um dos defensores do projeto. "O momento em que se exige do estudante o máximo esforço são os últimos três meses do ano letivo, quando ele se prepara para o exame final. Exatamente nessa época, grande parte dos alunos foi atacada pela epidemia reinante e muitos falecerem. Na Escola Politécnica, choramos a perda de mais de um. Aqueles que se salvaram estão em uma convalescença que se pode considerar longe de ser completa", afirmou na época. 

A gripe espanhola não afetou somente os estudantes. "Só na minha escola, mais de 35 professores não têm podido dar as suas aulas por motivo de saúde", disse o senador Mendes de Almeida (MA). Com o ano de 1918 chegando ao fim, o presidente interino Delfim Moreira achou mais prudente não esperar as votações do Senado e da Câmara e baixou em dezembro um decreto definindo que nenhum aluno repetiria o ano letivo.

A pandemia de gripe espanhola de 1918 foi a mais letal da história, matando 50 milhões de pessoas em todo o mundo. Ao todo, houve 500 milhões de infectados, cerca de um terço da população do planeta na época. No Brasil, a doença causou cerca de 35 mil mortes. Foto: Imagem: Instituto Federal de Goiás/Reprodução; Fonte: Agência Senado

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias