Quarta, 23 de Setembro de 2020
27 99808-4347
Colunistas Ouvir ou escutar?

Dicas importantíssimas: Vamos exercitar o dom da “escutatória"

Poucas pessoa possuem a habilidade de escutar, mas as dicas vão ajudar você.

06/12/2019 13h46
Por: Redação
Dicas importantíssimas: Vamos exercitar o dom da “escutatória

Você já observou quantos cursos de oratória existem por ai? São muitos cursos ensinado a gente a ‘falar bem’, mas eu nunca ouvi dizer sobre cursos que nos ensinem a ‘escutar bem’. Estamos acostumados a ouvir, mas não paramos para escutar. O ato de ouvir se refere apenas à função natural do nosso ouvido, mas o ato de escutar já está falando de algo mais complexo e profundo. Para escutar, é necessário parar e focar a atenção naquilo que está sendo comunicado. Esta habilidade, poucas pessoa possuem.

Como disse, estamos acostumados a ouvir e não a escutar. Agora, reflita comigo, quantos corações se sentiriam mais acolhidos e quantos conflitos seriam evitados se nós exercitássemos a habilidade de parar e ouvir o que o outro está tentando nos dizer?

Hoje quero deixar algumas dicas para que possamos exercitar nossa capacidade de escutar e assim, melhorar nossos relacionamentos no contexto familiar:

- Exercite a capacidade de escutar olhando nos olhos da pessoa que está falando. Isto demonstrará que você se interessa e está atento ao que está sedo dito e também à pessoa que está dizendo.

 - Não faça julgamentos precipitados, interrompendo a conversa só porque discordou do que foi falado. Escute, entenda o que foi dito e só depois que o outro terminar de falar, dê sua opinião sobre o assunto.

- Seja empático numa conversa, mostre que você escutou o que foi dito, para isso, use a estratégia de repetir o que foi falado. Exemplo: Se sua esposa disser: “Hoje tive um dia péssimo, quero ficar sozinha”. Você pode responder: “Você está me dizendo que hoje você não está se sentindo bem?” Imagino que esteja bem cansada. Tem alguma coisa que eu possa fazer por você?”“. Olha, que lindo!Cavalheirismo, gentizela e empatia fazem muito bem e nós agradecemos.

- Quando você pedir ao seu filho para guardar os brinquedos e ele não guardar, ao invés de acusá-lo e criticá-lo pelo que ele deixou de fazer, fale com ele sobre como se sentiu em relação a isso. Você pode dizer: “Você não guardou os brinquedos e isto me deixou muito triste. O que aconteceu?”. Depois de dizer isso, escute com paciência a resposta do seu filho e observe o que irá acontecer. Você poderá se surpreender. 

 - Finalizando, exercite o ato de agradecer, seja gentil, fale palavras bondosas e construtivas. É isto que as pessoas estão precisando escutar. Então, fale menos, escute mais.

Adriana de Azevedo Barbosa

Psicóloga (CRP 3276/16)

Psicopedagoga,

Educadora parental,

Analista em recrutamento e seleção de pessoas

Tel: 27 99812 2283

Email: [email protected]

3 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias