Sexta, 10 de Julho de 2020
27 99808-4347
Polícia Repercutiu no ES

Identificado jovem que trocou tiros com a polícia, invadiu casas e morreu no Centro de Linhares

O rapaz enfrentou até a Força Tática dentro da casa que se escondeu após fuga desesperada.

28/08/2019 07h36 Atualizada há 10 meses
Por: Redação
Identificado jovem que trocou tiros com a polícia, invadiu casas e morreu no Centro de Linhares

Era do Centro de Sooretama o indivíduo morto na troca de tiros com a polícia no Centro de Linhares na tarde desta terça-feira (27). Ele foi identificado como Walace da Silva Souza, e tinha 19 anos. Na mesma ocasião um mototaxista foi baleado quando trabalhava em um ponto que fica ao lado do bar onde ocorreu a abordagem. Foram muitos tiros e momentos de tensão por conta da insistência de Walace em vencer a polícia a qualquer custo.

Abaixo você confere os detalhes de como tudo começou, do desfecho da perseguição que contou com acidente de trânsito, tentativa de roubo de moto que estava sendo abastecida, e ao momento em que o jovem morto resistiu e preferiu não largar a arma e se entregar:

Continua depois da publicidade

Leia também – Abordagem, tiros, perseguição, morte e ferido no Centro de Linhares

O Boletim Unificado 40235583 cita que após observar volume na cintura de dois indivíduos que estavam em atitudes suspeitas, dentro de um bar que fica em frente à Rodoviária Águia Branca, os policiais militares iniciaram a ação para abordagem, e que foi solicitado que os indivíduos se posicionassem na lateral direita, na parede do bar, mas a dupla desobedeceu e retornou para dentro do bar.

Eles foram acompanhados, e Walace  teria sacado um revólver da cintura  e atirado em direção ao Cabo Marcos Vieira e que acabou atingindo o mototaxista Jucelino que trabalhava em um ponto de mototáxi no local.

Tiros
O Boletim Unificado cita que a guarnição solicitou apoio via rádio e que um Soldado de folga que estava próximo ao local observando o ocorrido, efetuou cinco disparos para repelir a ação do indivíduo.

Continua depois da publicidade

O Cabo que solicitou a posição de abordagem a Walace efetuou dois disparos e enquanto Walace era perseguido, este efetuou mais disparos em direção aos seus perseguidores e atingiu o vidro lateral esquerdo traseiro da viatura 4270 que também teve o banco de trás perfurado.

Tentativa de roubo de moto para fugir
Os policiais revidaram à ação do perseguido com mais cinco disparos, momento em que Walace, ainda segundo o Boletim Unificado, entrou no posto de combustíveis e tentou roubar uma motocicleta que estava sendo abastecida.

O dono da moto foi jogado ao chão, mas o rapaz, percebendo que os policiais se aproximavam, desistiu do roubo e efetuou mais três disparos em direção da viatura 4270 que colidiu com um veículo cujo motorista perdeu o controle e foi parar dentro do posto de combustível. Foi confeccionado um Boletim de Trânsito sobre este fato.

Curiosos tentavam entender o que acontecia, ao verem a cena e ouvir a sirene da viatura, sobretudo quando os policiais desembarcaram do carro oficial abrigando-se atrás do mesmo e na sequência efetuando mais cinco disparos para tentar neutralizar as ações do rapaz.

Continua depois da publicidade

Cerco
O apoio chegou e foi feito cerco a Walace, que desesperado teria recarregado a arma e efetuado mais disparos em direção dos militares, que revidaram com outros quatro tiros. Walace, então, saiu correndo pela lateral da BR-101 e após correr por cerca de 100 metros e na fuga desesperada pulou muros de quatro residências, inclusive, um deles com serpentina o que provocou ferimentos no fujão. O Boletim Unificado diz que os moradores dessas casas viram o indivíduo com arma em punho tentando escapar dos policiais.

As viaturas 3387, 4092, 4184 estavam posicionadas no cerco e Walace, por sua vez, já estava no interior da última casa invadida. Militares da Força Tática chegaram a bordo da viatura 3561, sendo que os moradores foram orientados a deixar o local, e a Força Tática iniciou a verificação nos quartos, cozinha, banheiro e ao chegar à copa avistaram Walace escondido atrasa da mesa.

A morte
Persistente, Segundo ainda o Boletim Unificado, o jovem estava com a arma em punho e apontando em direção aos policiais. Ele foi advertido para soltar o armamento e se entregar, mas teria desobedecido e puxado o gatilho por duas vezes em direção aos policiais.

Simultaneamente, em legítima defesa e em estrito cumprimento do dever legal, os policiais efetuaram nove disparos. Walace caiu e foi constatado o óbito.

Nos procedimentos a seguir, o comando do 12º Batalhão estava presente. A Perícia recolheu o revólver que estava com Walace, um 32 marca Taurus, capacidade para seis tiros. Além da arma suja de sangue, foram apreendidos R$ 39,00 em cédulas manchadas de sangue, e R$ 2,20 em moedas em poder do jovem. As armas dos militares que efetuaram os disparos (29 no total) durante a ocorrência foram recolhidas e entregues no 12º Batalhão.

O corpo de Walace foi levado para o Serviço Médico Legal (SML) para os procedimentos devidos.

25 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias