Polícia

Mais detalhes da prisão de Ricardo: Ex escapou por pouco e rival foi morto na frente da mãe

Postada em: 43220

O delegado André Jaretta Ardison, titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida de Linhares, divulgou, na manhã desta sexta-feira (11), mais detalhes sobre a prisão de Ricardo Amorim dos Santos, de 23 anos, apontado como autor de um homicídio no Nova Esperança e que foi preso no início da noite anterior, conforme divulgado pelo Site Eu Vi em Linhares.

Leia também - Preso homem que matou rival na frente da ex no Nova Esperança

Jaretta disse que a arma do crime, o revólver da foto, também foi apreendida e que quando foi assassinado, além da namorada, Diego da Costa Pinheiro, estava junto com a mãe. O crime aconteceu pouco depois das 20h00 de quarta-feira (9), no bairro Nova Esperança.

O delegado disse que Ricardo conviveu em união estável com a ex, e que a mesma rompeu a relação há cerca de cinco meses e que o namoro com a vítima era recente. Ricardo, ainda segundo o delegado, perseguia e ameaçava a ex. Na noite do crime ela foi ao Nova Esperança visitar o namorado quando  foi surpreendida pelo ex-amásio, que estava armado. “Ele passou a ameaçá-la com um revólver, mas quando viu Diego disparou contra ele. O autor atirou por pelo menos quatro vezes, até conseguir matar a vítima. Aguardamos o laudo cadavérico para saber quantos tiros acertaram”, disse o delegado.

Investigações

O crime foi elucidado e o suspeito preso em menos de 24 horas. Com a rápida investigação e provas suficientes de autoria, o delegado representou pela prisão do autor e após parecer favorável no Ministério Público, ela foi decretada pela 1ª Vara Criminal de Linhares. Paralelamente, a delegada da DEAM também pediu a prisão em razão da violência contra a mulher, e esta também foi decretada pela 4ª Vara Criminal de Linhares.

Buscas

Com todo respaldo da justiça em mãos, seguiu-se, então, as buscas para prender Ricardo e após vários levantamentos e informações repassadas por moradores, ele foi localizado num bairro distante de onde ocorreu os fatos, numa casa de conhecidos. “Aparentemente, as pessoas que o receberam não faziam ideia do crime que ele tinha praticado e ficaram surpresos com a chegada da Polícia Civil e prisão”, informou Jaretta.

A arma no crime, um revólver calibre 38, segundo Jaretta, estava escondida em outra casa. Nas nossas apurações, um vizinho de Ricardo disse que a Polícia Civil esteve na residência do investigado, no bairro São José. As fotos são da Polícia Civil.