Turismo Praias/Lagoas

Protesto de prejudicados por lama da Samarco marca segunda-feira em Linhares

Postada em: 28670

“Já passaram 20 meses, e o que temos é muita conversa e nada se resolve”. Assim um dos prejudicados pela lama de rejeitos de minério que chegou pelo Rio Doce após rompimento de barragem da Samarco resumiu a fala ao referir-se ao  protesto organizado para esta segunda-feira (26).

Além dele, outras pessoas haviam marcado de sair de duas comunidades rumo à área frontal da Fundação Renova - entidade que trata sobre os assuntos relacionados ao desastre ambiental – no Centro de Linhares.

Às 6h50 dois ônibus estavam preparados para saírem lotados de Povoação. Já a estrada, no trevo para Povoação, estava bloqueada e permaneceu por alguns minutos, mas foi liberada ainda no início da manhã.

Leia também - Manifesto em Linhares: Prejudicados por lama dão prazo para receber indenização

Em Regência a movimentação também começou bem cedo, na verdade com o dia ainda escuro, para no máximo as 7h30 os carros e ônibus saírem rumo à área frontal do escritório da Renova, onde o protesto havia sido agendado para as 9 horas.

O grupo de manifestantes é composto por pescadores da bacia do Rio Doce, comerciantes, ribeirinhos e produtores rurais.

Na ocasião em que informamos sobre a organização do manifesto, por nota, a Fundação Renova disse: “A Fundação Renova, entidade autônoma e independente que está à frente das ações de reparação, mantém seu compromisso de atender todas as pessoas impactadas pelo rompimento da barragem. Especificamente em Linhares, a Fundação começou no início do ano os atendimentos do Programa de Indenização Mediada (PIM) por danos gerais, que é destinado a pessoas e micro e pequenas empresas que tenham sofrido perdas materiais referentes às suas atividades econômicas, em consequência do rompimento da barragem. Esse é o caso de pescadores, agricultores e comerciantes, por exemplo. Para levantar informações sociais e econômicas detalhadas de todos os impactados, a Fundação realizou um cadastro integrado. A partir desses dados, estão sendo definidas ações de reparação e integração das pessoas aos programas previstos pela Fundação. Também por meio do cadastro, as equipes da Renova estão entrando em contato com os impactados para atendimento de indenização. É importante ressaltar que no final de 2016, a Fundação realizou o processo de antecipação de indenização, com o pagamento de valores para os comerciantes. Nesse momento, o mesmo procedimento está em andamento com os profissionais da pesca”.