Sábado, 16 de Janeiro de 2021
27 99808-4347
Polícia Absurdo

Coronavírus: PM sai lesionado durante apoio à fiscalização em bar em Sooretama

Um homem que não usava máscara e xingou as equipes da PM e vigilância sanitária, acabou detido.

11/01/2021 09h31 Atualizada há 4 dias
Por: Redação
Coronavírus: PM sai lesionado durante apoio à fiscalização em bar em Sooretama

Policiais militares que davam apoio à equipe da Vigilância Sanitária de Sooretama foram xingados e humilhados, e as palavras também se estenderam aos servidores do município durante fiscalização para fazer cumprir a Portaria da Sesa número 251-R de 12 de dezembro de 2020.

Leia também - Traficante abandona 10 tabletes de maconha dentro de veículo, e sai em fuga desesperada no Centro de Linhares

Foi no início da noite deste domingo (10), na Rua José Leonel, no Centro de Sooretama, e a operação que visou verificar possíveis descumprimentos aos Decretos Estaduais e Municipais no combate e enfrentamento ao novo coronavírus, acabou virando caso de polícia no momento que aconteceu abordagem em um estabelecimento, mais precisamente um bar.

Aglomeração – O Boletim gerado pela Polícia Militar dá conta de que no local acontecia aglomeração, e que várias pessoas usavam bebida alcoólica, entre elas um homem de 44 anos, citado como a pessoa que xingou e humilhou as equipes.

Os profissionais adotavam as medidas sanitárias, e o homem, conforme cita o boletim, dirigiu-se aos agentes da Vigilância Sanitária e aos policiais de forma desrespeitosa e desqualificou a operação.

O homem teria saído do local onde estava sentado, em frente ao bar, e intromete-se na conversa entre os agentes e o comerciante responsável pelo estabelecimento. Cita o relatório que o indivíduo estava sem máscara de proteção, e que aproximando-se de forma não segura, atrapalhava o trabalho dos servidores.

Advertido pelos militares para se afastar, o indivíduo, conforme explica o relatório, não obedeceu e começou a desqualificar a conduta dos profissionais e dos militares, afirmando que eles não poderiam fazer aquilo, e que era uma palhaçada, e abuso de poder.

O homem também teria chamado os profissionais de “otários”, ofendeu o governo do estado e acabou detido, sendo necessário uso moderado da força para que fosse algemado e conduzido. Os PMs, inclusive, precisaram usar spray de pimenta em decorrência do tumulto.

Por fim, o homem foi conduzido à delegacia, e um Cabo da Polícia Militar sofreu lesão no dorso da mão esquerda devido a ação de residência por parte do indivíduo.

Atualizada às 10h16 de 12/01/2021 - O homem conduzido à delegacia entrou em contato com a nossa Redação, e enviou a seguinte resposta: "O relatório da PM não condiz com a verdade dos fatos , a verdade é que em nenhum momento me alterei com os agentes, eu disse para os agentes de vigilância sanitária que esse decreto do governo era uma palhaçada, e jamais disse isso mencionando os agentes tanto da vigilância com os PM's, assim que eu disse a palavra "palhaçada" mencionando o decreto, dois dos três policiais que estavam fazendo a retaguarda do outro lado da rua, atravessaram a rua e vieram ao meu encontro me acusando de ter ofendido a equipe, eu ainda disse ao policial que me desculpasse pois não citei essa palavra para a equipe e sim para o decreto do governo. Ele (o policial) fez constar no boletim que eu mencionei a palavra "otário" para eles, sendo que foi o próprio policial que me disse "tá achando que tem algum otário aqui?". Eu disse "não senhor" eu não disse isso.”

“Aí ele se alterou cada vez mais, outro policial veio atrás de mim, me deram uma rasteira  me jogaram no chão, e me algemaram, eu disse ao policial que ele não poderia me algemar pois eu não resisti a prisão, me jogaram na parte detrás da viatura me machuquei, estou com ferimento na canela direita devido ao uso excessivo da força e abuso de autoridade pelo fato de eu ter sido algemado. No DPJ eu pedi desculpas novamente pelo ocorrido, pois havia ingerido bebida alcoólica. Consta no BU ainda que eu oferecia risco ás equipes pois eu estava sem máscara, mas eu estava na rua, e pelo que sei não há nenhuma lei que me obriga a usar máscara em área aberta e se eu oferecia risco, porque os policiais encostaram em mim sem máscara?”.

“Consta também no BU que eu teria saído do local onde estava e me intrometido na conversa da agente e a proprietária do bar, "MENTIRA" Eu fui defendê-la,  pois a agente estava falando alto com ela, aí eu fui até eles para saber o que estava acontecendo, nesse momento ela a agente me disse para não se intrometer na conversa, aí foi a hora que eu reagi e disse a ela que esse decreto era uma palhaçada.”

“Consta que um cabo da PM sofreu lesão no dorso da mão, se ele sofreu a lesão foi em decorrência da truculência dele, se ele tivesse me dado voz de prisão eu iria obedecer, mas isso não foi feito, eles vieram atrás de mim e me pegaram com golpes de mata leão e me jogaram no chão com força. Eu sim que me lesionei, estou com uma ferida na canela direita e com um "galo" na cabeça devido a força excessiva usada para me  prender.”

2 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias