Economia

Sebrae ES: Quando o namoro acaba virando (também) um bom negócio

Postada em: 6357

E chegou a semana do Dia dos Namorados. Sabia que um encontro amoroso pode expandir o sentido de parceria e trazer bons negócios, além de um relacionamento?

O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Espírito Santo (Sebrae ES) aproveita a data para levantar algumas dicas específicas para evitar que assuntos pessoais atravessem a rotina profissional.

É preciso, contudo, que cada caso seja avaliado separadamente, dentro de suas especificidades e das demandas que giram em torno da individualidade do negócio, mas que, de modo geral, a afetividade romântica entre sócios nem sempre representa uma questão problemática. 

“Há aspectos que devem ser avaliados por todo empreendedor que deseja investir em um novo negócio, como afinidade com o ramo, área de atuação e público-alvo. Pode-se ter ou não relação afetiva em uma sociedade, o que não pode faltar é afinidade profissional, respeito e confiança”, diz o o analista de atendimento do Sebrae ES, Carlor Perrin.

Ainda segundo o superintendente, negócios que surgem de sociedade entre casais tendem a estar relacionados com os hábitos e rotina pessoal dos envolvidos, o que pode ser uma vantagem para que o empreendimento seja bem sucedido. 

É o caso de Amanda Vasconcelos e Ricardo Rangel. O casal de namorados tinha como hobby  fazer geladinhos em casa, mas amigos próximos e familiares gostaram tanto do produto que eles perceberam uma oportunidade de ganhar dinheiro. “Começamos com intuito de fazer uma renda extra, mas foi dando tão certo que virou nossa atividade principal. Nós, inclusive, passamos a morar juntos para organizar melhor os negócios”, contou a sócia.

Amanda também ressalta que um dos valores que o casal traz ao negócio é prezar por atualização e qualidade dos produtos. “Sempre nos mantemos atualizados, participamos de feiras e eventos e fazemos questão de qualidade em nossos produtos. Nós acompanhamos as observações e sugestões de nossos clientes e hoje temos um cardápio vasto, com opções que vão desde o tradicional chocolate a um geladinho trufado de pistache com chocolate ruby”, contou.

Sobre a rotina de casais que precisam separar demandas pessoais e profissionais, Carlos Perrin deixa uma orientação: “É importante ter em mente, para o sucesso do negócio e, ao mesmo tempo, na vida pessoal, que não se deve levar assuntos de trabalho para momentos íntimos ou, menos ainda, misturar as finanças pessoais com as da empresa”, aconselhou.

Por Karolina Lopes.