Polícia

Um ano após morte brutal de Kauã e Joaquim: Confira detalhes de manifesto

Postada em: 13888

5h52 de 21 de abril de 2018, e o Site Eu Vi em Linhares posta o que seria uma das mais trágicas notícias que destacaria Linhares logo em seguida em outros portais, no rádio e televisão: “Urgente: Duas crianças mortas em incêndio no Centro de Linhares”. As vítimas: Joaquim Alves e Kauã Salles Butkovsky.

Na ocasião, a informação deu conta de que dois meninos, um nascido em 2015 (Joaquim) e outro em 2011 (Kauã), haviam morrido em um incêndio na casa onde moravam, na Avenida Nicola Biancard, uma esquina, no Centro da cidade.

Ainda de madrugada, a equipe do Corpo de Bombeiros estava no local da ocorrência, quando nós conversamos com um dos profissionais que atuou no ocorrido. Abalado, ele disse que a ocorrência "mexeu com todos”.

Foi o Soldado Ruas, e ele disse que o fogo teria começado no quarto das crianças, que a fumaça havia tomado conta do local e a laje se rompido. A ocorrência foi atendida às 2h20 da madrugada.

Mas as horas se passaram, e a tragédia tomou novos rumos: Em uma semana veio uma notícia ainda pior: O pai de um dos meninos que também é padrasto do outro, foi preso.

Identificado como Georgeval Alves Gonçalves, 36 anos, pastor de uma igreja evangélica que funcionava no bairro Interlagos, ele nega até hoje que tenha cometido tamanha barbárie.

A perícia apontou resultados, e a justiça concluiu que o pastor havia violentado, espancado os meninos até deixá-los desacordados, e depois de levar as crianças para o quarto, ateou fogo. As crianças ainda estariam vivas quando o fogo consumiu o quarto.

Posteriormente foi a vez da mãe das crianças, Juliana Sales, esposa de Georgeval e apontada como pastora da mesma igreja, ser presa acusada de omissão. Mas ela foi solta, presa de novo e solta novamente.

Muitas manifestações na rede social, movimentos de protesto, mas aos poucos o caso foi “perdendo força” na repercussão.

Agora, familiares das vítimas aguardam a decisão se os envolvidos ou se somente Georgeval enfrentará o Júri Popular.

Um ano depois

Um ano depois da tragédia que abalou a cidade e repercutiu no Brasil, um evento denominado “365 dias sem Kauã e Joaquim, os dois meninos mortos de maneira tão trágica, está agendado para acontecer exatamente no dia 21, quando completa um ano  da morte dos irmãos mortos pelo pastor Georgeval.

A concentração será às 9h, em Jardim Camburi, Vitória, em frente ao antigo Hotel Porto do Sol. A orientação é para as pessoas irem vestidas de camiseta branca e levar cartazes pedindo um basta ao abuso sexual de crianças e adolescentes.

Acima foto dos garotinhos em momento de oração, na igreja onde congregavam. Nós não fomos informados se haverá alguma manifestação em Linhares.