Polícia

Latrocínio: Homem é espancado e esfaqueado e tem moto levada pelos bandidos

Postada em: 26844

Cena triste de ser presenciada. É como descreveu uma testemunha ao encontrar sangue saindo por debaixo da porta de acesso à varanda de uma residência na localidade de Córrego Segunda Santa Emília, Zona Rural de Rio Bananal. Trata-se de um latrocínio, cuja vítima é um homem identificado como Juraci Ângelo Silveira, de 66 anos.

O crime está relatado no Boletim Unificado 38949971 gerado às 08h51 de ontem (25). Autoria ainda é um mistério para a polícia, sendo que próximo à casa, no meio de uma plantação de café, foram encontrados três pedaços de madeira e uma faca, provavelmente as mesmas armas usadas pelo assassino ou assassinos. Uma moto que pertencia à vítima, sumiu.

Ao tomar ciência do crime, a princípio a polícia foi informada que havia um cadáver em uma residência localizada em uma propriedade, e a guarnição a bordo da viatura 4270, deslocou até a localidade, onde uma mulher  informou o exato local onde a vítima estava.

Os militares constataram que havia sangue saindo por debaixo da porta para a varanda, e ao entrar no imóvel por outra porta que estava apenas fechada com um pedaço de arame, visualizaram um homem todo ensanguentado caído ao chão já sem vida, aparentando ter levado uma pancada na cabeça e duas perfurações no tórax.

O local foi isolado e a Perícia Técnica da Polícia Civil foi acionada. Ficou, então constatado que a vítima sofreu uma pancada na cabeça com um pedaço de madeira, e duas perfurações no tórax por arma branca.

Uma testemunha disse que sentiu um cheiro forte de queimado de dentro da residência. Também foi informado que a vítima residia sozinha, e que tinha uma moto Honda/CG 150 de cor preta. O detalhe é que o imóvel não apresentava qualquer tipo de arrombamento e aparentava estar com todos os objetos em seus devidos lugares, somente faltando por informação das testemunhas, à moto Honda/CG 150.

Também não foi localizado no imóvel qualquer tipo de documentação da vítima e da motocicleta acima citada. No momento que a guarnição esteve no local nenhum parente apareceu e as testemunhas não souberem informar se a vítima possui parentes na região.

O caso segue junto à Polícia Civil. Denúncias podem ser feitas através do 181 ou 190, sem a necessidade de a pessoa se identificar.