Polícia

Morte de Dinei: Irmã não acredita em suicídio e diz que dinheiro e celular foram roubados

Postada em: 53798

A leitora Jussara Ferreira dos Santos, de 35 anos; irmã de Jucilei Ferreira dos Santos, o Dinei, que tinha 39 anos, pediu ajuda ao Site Eu Vi em Linhares para informar que a família não acredita que Dinei cometeu suicídio, e pede justiça.

Ele foi encontrado morto, segundo a polícia, por enforcamento, na manhã de quarta-feira (20), conforme noticiamos (clique aqui e confira).

Jussara, ao relatar o fato para a nossa Redação, fez uma série de declarações a partir de apurações da própria família. Disse, por exemplo, que na casa onde o irmão morreu havia pelo menos umas cinco pessoas na hora do fato.

Uma delas seria a dona do imóvel e outra o filho dela. "Falaram que era o filho dela que havia morrido, aí soubemos que na verdade tinha sido o meu irmão. A princípio parece enforcamento, mas temos informações que o celular dele foi vendido e que ele tinha uma quantia de mil e duzentos Reais que não foi encontrada pela perícia", contou a mulher.

Segundo a irmã, Dinei estava com marcas de pancada na cabeça e no nariz. "Ele saiu de casa com destino ao Pó do Shell, para receber esse dinheiro referente a um serviço que ele pegou para fazer. Era marceneiro, trabalhava há 18 anos no mesmo emprego, e pegava alguns trabalhos por fora. Ele não voltou para casa e soubemos desse enforcamento, porém, não sabíamos que era ele. Aí, um rapaz que teve o nome divulgado como quem seria o enforcado ligou para o meu irmão dizendo que estava vivo, e que o morto ela o Dinei. Foi o maior desespero", detalha.

Ainda segundo a irmã, Dinei teria sido dopado, mas ela admite que somente resultados de exames comprovarão a causa da morte. "Sei que ele tinha dois filhos, um trabalho, era alegre e não tinha coragem jamais de acabar com a própria vida", considerou.

Perguntamos se o homem era usuário de drogas: "Dizem que ele usava sim, mas nunca vi, e aqui para a família não falava, mas, pelo que ficamos sabendo, ele estava usando sim. O que sei é que meu irmão não acabaria com a própria vida", disse ela.

Além do detalhe referente ao dinheiro e o celular da vítima, outro fato chama a atenção da família: "A dona da casa não foi mais vista no bairro, e alguém colocou fogo no imóvel. Não se sabe se foi para acabar com provas ou por revolta por causa da morte do meu irmão".

Nós recebemos fotos do interior do imóvel, e fotos da vítima em vida, enviadas pela irmã de Dinei. Os nomes da dona da casa e do filho dela, e de quem teria comprado o celular da vítima não serão divulgados por motivos óbvios. Na declaração de óbito a causa da morte é "enforcamento". A vítima foi sepultada ontem (sexta-feira), às 10h, no cemitério do bairro Planalto.

Em contato com a Polícia Civil, a informação é que está sendo aguardado a perícia de local de crime.