Colunistas

Dr Fabrício: Atenção, mulherada, informações importantes para vocês

Postada em: 7750

O delegado Fabrício Lucindo Lima escreve e comenta dados importantes. E ainda declara: "Em minha turma de Delegados, dos 14 que entraram na PC junto comigo, apenas uma era mulher; As mulheres exercem as mesmas funções e recebem salários menores, e além de terem jornadas duplas, são discriminadas e sofrem assédio o tempo inteiro". Leia abaixo:

Hoje, na fila de um caixa de um supermercados, uma senhora me questiona se realmente nossa sociedade é machista e patriarcal, ou se tudo não seria um mito, algo criado por grupos feministas. Enquanto estava voltando para casa, andando sozinho com minha pesada bolsa ecologicamente correta,  acabei  lembrando de algumas curiosidades interessantes sobre o assunto.

Vejam só: O marco inicial da criação das democracias modernas é a Constituição dos Estados Unidos e a Revolução Francesa, onde foram forjados os princípios da liberdade, fraternidade e Igualdade. Porém, caros leitores, a igualdade não era e nunca foi para qualquer um, no caso, era somente para homens brancos! Mulheres, negros e índios não eram detentores dos mesmos direitos e não poderiam votar e nem serem votados.

E no Brasil?

No Brasil, após a proclamação da República em 1889, nós tivemos a primeira eleição direta em 1894, quando foi eleito o primeiro presidente civil, Prudente de Moraes. Porém, durante toda a república velha de 1889 a 1930, somente homens maiores de 21 anos e alfabetizados poderiam votar. A grande maioria da população ficava excluída do processo eleitoral. Não tinham direito a voto: padres, soldados, mulheres e indígenas. Ou seja, os eleitores não representavam nem 10% da população.

Hoje ninguém acreditaria, mas em 1915 a Caixa Econômica Federal, já em pleno século XX, instituiu um regulamento inovador, que daquele ano em diante, a mulher casada poderia possuir depósitos bancários em seu nome, desde que fosse autorizada pelo marido...já imaginaram??

Pois bem, finalmente em 1932 as mulheres conquistaram o direito de votar. Bom... Mas de pouco adiantou naquela época, pois com o golpe de 1930 e até 1946 nós não tivemos eleições diretas para presidente. Curiosidade: neste período criou-se um decreto que proibia as mulheres de praticar alguns tipos de espores, pois eram incompatíveis com as condições femininas, entre eles: Lutas marciais ou outras de qualquer natureza, futebol de salão, de praia, pólo, pólo aquático e outros.

Democracia novamente em 1946, com a eleição do presidente Eurico Gaspar Dutra, e seguimos assim por mais 18 anos, com 4 eleições diretas até 1964, quando mais uma vez um golpe de estado interrompe a democracia por mais 21 anos... Finalmente, com a redemocratização do País em 1985, retomamos as eleições diretas em 1989, quando elegemos Fernando Collor de Melo, o primeiro presidente eleito após o golpe de 1964.

Fazendo um cálculo básico dos quase 130 anos da República Brasileira, tivemos 44 presidentes homens e uma mulher sentados na cadeira do cargo mais alto da nação; nós nunca tivemos uma governadora mulher no Espírito Santo, e das 30 vagas de nossa Assembleia Legislativa, apenas 4 são ocupadas por mulheres.

Em minha turma de Delegados, dos 14 que entraram na PC junto comigo, apenas uma era mulher; As mulheres exercem as mesmas funções e recebem salários menores, e além de terem jornadas duplas, são discriminadas e sofrem assédio o tempo inteiro. Não tenho dúvidas... somos machistas e patriarcais!!

Fabrício Lucindo Lima é delegado de Polícia Civil.