Polícia

Amaro Neto revela caso e confessa que deu emprego à amante

Postada em: 28092

Em depoimento prestado ao delegado Brenno Andrade de Souza Silva, da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Eletrônicos, o apresentador de TV e deputado estadual Amaro Neto revelou ter mantido relacionamento extraconjugal com a pedagoga Keila Bonde Ferreira, esposa do cabo da PM Fernando Marcos Ferreira. Amaro Neto, eleito deputado federal com  181.813 votos nas eleições de 7 de outubro deste ano, confessou também ter dado emprego a Keila, que se tornara sua amante, na Secretaria de Estado de Secretaria de Estado de Esportes (Sesport).

Amaro Neto prestou depoimento na tarde de sexta-feira (30/11), horas depois de o cabo Fernando e sua esposa, Keila, terem sido presos pela acusação de extorquir o parlamentar em R$ 500 mil. A extorsão, que é negada pelo casal, teria ocorrido, segundo a versão de Amaro Neto  e da Polícia Civil, depois que Fernando teria descoberto a traição.

O Blog do Elimar Côrtes teve acesso exclusivo ao teor dos depoimentos do deputado Amaro Neto, do PM Fernando e de sua esposa Keila. Interrogado pelo delegado Breno Andrade de Souza,  tendo como escrivão Cloves Ribeiro do Nascimento, o deputado disse que conheceu Keila no início deste ano de 2018, por meio do Instagram. Segundo ele, Keila narrava que estava desempregada e queria a ajuda do parlamentar. Ele pediu e Keila enviou ao deputado currículo.

“Como o currículo dela (Keila) apresentava bom conteúdo, eu o guardei. Passado algum tempo, eu soube de uma vaga na Secretaria  Estadual de Esportes a ser preenchida com as mesmas qualificações da Keila Bonde. Informei a ela sobre o emprego e ela foi trabalhar na Sesport”, disse Amaro Neto, em depoimento. Ele é o apresentador do Balanço Geral, programa policial da TV Vitória.

Na época, a Sesport era comandada pelo presidente do PRB – mesmo partido de Amaro – no Espírito Santo, Roberto Carneiro, braço direito do deputado na política e hoje ocupando cargo de destaque na Assembleia Legislativa.

Em seguida, Amaro Neto relata que Keila continuou mantendo contatos com ele por meio de redes sociais. Mais adiante, Amaro revela que teve “enlace amoroso” com Keila, que, segundo o parlamentar, lhe teria dito que estava separada do PM Fernando.

“Keila se mostrou prestativa e participou de minha campanha eleitoral deste ano. Ela sabia que eu era casado”.

Em outro trecho do depoimento, Amaro Neto fala de possível crise no casamento entre ele e a atual esposa, Priscila Munhoz, que o delegado retrata da seguinte forma:  “Que em vista de inúmeros fatos de cunho íntimo de vida particular do declarante (Amaro Neto), o declarante aprofundou relacionamento amoroso com Keila Bonde”.

Amaro conta ainda que na quinta-feira (29/11), um dia antes da prisão de Fernando e Keila, ele tomou conhecimento, por meio da própria Keila, que o marido descobrira “o enlace amoroso”. O deputado relata ter sido surpreendido e considerou estranha a revelação da amante que, segundo ele, sempre dizia estar separada do marido.

Amaro Neto entregou ao delegado Brenno Andrade de Souza “prints” e procuração contendo todo o conteúdo de conversas antigas mantidas com Keila. Nesses “prints”, salienta o parlamentar, “é possível descortinar uma possível extorsão por parte de Keila”.

Na avaliação de Amaro, as mensagens registradas davam a entender que se ele não efetuasse  “pagamento de quantia monetária em benefício de Keila Bonde e ou do marido, imagens e ou vídeos” do deputado seriam divulgadas ao público.

Diante da situação, conta Amaro Neto, ele designou um de seus assessores, Elder Correa Sena, o Eldinho, “com conhecimento jurídico”,  para procurar a Polícia Civil. O parlamenta diz que tomou conhecimento da suposta extorsão por meio de Elder Sena, que tinha ido à casa do PM Fernando.

“O Elder revelou que Fernando exigiu R$ 500 mil para não divulgar o conteúdo das mensagens para terceiros. Tomei conhecimento também que durante as tentativas acerca do pagamento, Fernando disse que a minha vida e de Elder estaria em perigo. Eu me senti ameaçado”, disse o deputado Amaro Neto, que finalizou o depoimento informando que pretende representar criminalmente contra o policial militar Fernando.

Enquanto estava na casa do policial Fernando, o assessor parlamentar Elder enviou mensagem, via WatsApp, para Amaro Neto. Eldinho, como o assessor se identifica, conversa em código com o parlamente. Cita que o PM Fernando quer R$ 500 mil pelo "produtor", o suposto vídeo que teria cenas íntimas entre Amaro e Keila Bonde. Eldinho fala também que Fernando aceita dividir o pedido em duas vezes: dois pagamentos de R$ 250 mil.

Na Audiência de Custódia realizada no domingo (02/12), a juíza Mariana Lisboa Cruz  converteu a prisão em flagrante delito de Fernando Ferreira e Keila Bonde em prisão preventiva.

Fonte: Blog do Elimar Côrtes