Quarta, 02 de Dezembro de 2020
27 99808-4347
Polícia Taxista

Morte de taxista: Vítima levou 16 tiros e veículo também foi atingido

Primeira manchete sobre o crime revoltou leitores: "Menino bom", disse um internauta.

02/06/2018 06h57
Por: Redação
Morte de taxista: Vítima levou 16 tiros e veículo também foi atingido

"Era um menino bom, não merecia isso. Ouvi barulho de mais de 10 tiros". A fala é de uma moradora do bairro Aviso, e refere-se à morte brutal do taxista Jhonatas Carvalho, que tinha 21 anos e era conhecido como Jhon Jhon. A linha de telefone, cujo número para atendimento aos passageiros o rapaz propagava para serviço 24 horas, agora vai direto para a caixa de mensagem. O taxista declarava que era casado.

Leia também - Taxista é assassinado a tiros no Aviso

Perícia encontra 16 perfurações no corpo da vítima

No corpo da vítima, oficialmente identificada como Jhonatas Carvalho dos Santos, segundo dados do Boletim Unificado 36330379, gerado às 22h24, foram encontradas  pela perícia duas perfurações no peito, duas nas nádegas, duas na coxa posterior esquerda, três nas costas, três na mão esquerda, uma na nuca, uma  no abdômen, uma na face direita, uma na face esquerda.

Ao examinar o automóvel, um veículo Fiat Siena de cor branca que funciona como táxi em Linhares, foi verificado algumas perfurações também por disparos de arma de fogo, sendo duas no para-brisa, duas na porta dianteira no lado do carona, uma na "coluna dianteira carona". Após a perícia, o veículo foi liberado para o dono, diz o BU.

Um aparelho celular com chip em funcionamento foi encontrado dentro do carro. O objeto foi lacrado em envelope plástico e entregue à Polícia Civil juntamente com uma carteira de cor preta localizada perto do corpo do taxista. Nela continha R$ 90,00 em espécie. O corpo foi levado para o Serviço Médico Legal (SML), mas o BU não cita se local ou de Colatina.

Lei do silêncio

Populares afirmaram, cita o BU, que ouviram muitos disparos de arma de fogo, mas o que prevaleceu na ocasião em que a guarnição estava no local foi a chamada lei do silêncio. Informações que levem a polícia à elucidação do homicídio contra o taxista, passadas através da nossa Redação,são encaminhadas à Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) de Linhares. O 181 e o 190 são as linhas diretas para denúncias anônimas.

11 comentários
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias