Geral

Momento ajuda: S.O.S. é para família que perdeu tudo em incêndio no bairro Interlagos

Postada em: 33774

Um início de ano marcado por livramento, diz o pedreiro Gilson de Jesus Cerqueira. Ele tem 41 anos e é esposo da mulher da foto, a dona de casa Luzia Monteiro, de 31 anos. O casal, um irmão de Luiz com a esposa, além da mãe dela e três crianças moravam na casa que aparece incendiada nas fotos em exibição. "Apenas a Luzia estava em casa, na cozinha fazendo o jantar quando um curto circuito na sala causou tudo. Eu tenho certeza que foi por conta das últimas chuvas, e estava até me programando para dar uma geral na rede elétrica temendo exatamente algo como o que nos aconteceu", relatou o pedreiro.

Leia também - Desespero durante incêndio em residência no Interlagos

Extremamente simples, ao nos conceder entrevista para que de alguma maneira o Site Eu Vi em Linhares possa ajudar a família com arrecadações de itens diversos, o pedreiro disse que seu celular não tem aplicativos para mensagens simultâneas, mas que ele atenderia as ligações e disponibilizaria local para receber o que for doado. "Precisamos reconstruir, né? Vamos esperar a boa ação sim, mas peço que também me ajudem com meu material de trabalho que também foi destruído, pois sou pedreiro e preciso trabalhar", disse ele citando exemplos como maquita, furadeira, plaina, e outros.

Mulher  foi salva por um anjo, afirma marido

Ainda contando como tudo aconteceu, Gilson disse que o outro casal que reside na casa está fora da cidade e que chegaria nesta segunda-feira (8). A sogra dele e as crianças também não estavam na casa, que na hora do incêndio tinha apenas Luzia como ocupante. A mulher, segundo ele, foi salva "por um anjo", referência dada a um vizinho que resgatou pelos fundos da casa. "Ela foi salvar o cachorrinho de estimação e uma ave, que ela tanto gosta. Certamente, além de se ferir, teria desmaiado e morrido carbonizada se o vizinho não a tivesse socorrido.

O carro que aparece nas fotos é um Uno ano 96, que Gilson iria "dar uma ajeitada" tão logo surgisse oportunidade. "Eu creio que Deus sabe o que faz e que esse pedido de ajuda fará com que a gente reconstrua tudo antes do que merecemos", afirma o pedreiro.

Como e em que ajudar

Além de reconstruir a casa, as famílias que residiam nela também necessitarão de tudo que havia dentro dela. Os contatos podem ser mantidos com uma grande amiga da família, Elvira Florencio Schneider, mais conhecida como Branca, no telefone (27) 99643-1275; diretamente com Gilson, no telefone (27) 99831-7017, ou levar no número 1723 da Avenida Castro Alves, onde fica um comércio situado ao lado do imóvel destruído pelo fogo. "Os meus vizinhos receberão tudo se quem doar não conseguir falar comigo. É o Paulinho ou a Helena, pois estamos de favor na casa da irmã da Luzia e todos os dias eu preciso levar a minha mulher para fazer curativos", explicou o pedreiro.

Para reconstruir a casa, Gilson não citou quantidade, mas listou: Brita zero, areia, cimento, lajotas, blocos para construção da base, vergalhões diversos, agrofilito, madeira, telhado, mangueira corrugada, caixa de luz, caixa para armazenar água, lâmpadas, fiações, vaso sanitário, pia de banheiro e de cozinha, tanque e outros mais que ele possa ter esquecido de incluir na lista.

A família também precisa de móveis, que podem ser usados, como: armários de cozinha, roupeiros, camas, fogão, botija de gás, geladeira, panelas, pratos, e outros utensílios domésticos.

Roupas de cama, mesa e banho, roupas e calçados para as crianças e os adultos (Luzia e o marido descobrimos que calçam 37/38 e Luzia veste 40); alimentos e materiais de limpeza e uso pessoal também podem ser doados.

O telefone para contato e o endereço citado acima são os meios de as pessoas entrarem com contato com as famílias para realizarem as doações. O Site Eu Vi em Linhares apenas expõe a necessidade dos que residiam na casa incendiada.