Geral

Empoderamento das Pretas: As lindas, determinadas e guerreiras de Linhares

Postada em: 13926

2017 definitivamente foi o ano em que Linhares se viu mais perto do fim do preconceito quando o assunto é a raça negra. Ignorando os padrões impostos pela sociedade, fotos de meninas negras deram início ao que se pode chamar um dos projetos que merecem aplausos diários no município, pois cada dia acontece um marco no Projeto Empoderamento das Pretas, seja através de ligações, encontros presenciais ou mensagens simultâneas nas redes sociais.

Desde o início de fevereiro, conforme informou Damayana Santos Batista, que literalmente sentiu na pele o que é preconceito racial, ela, Stephani Bueno Vieira e Verinha Sfalsin, ficam à frente das atividades do projeto e mantêm viva a chama da valorização da beleza negra.

Hoje elas são 18 meninas e lembram quando a Praça 22 de Agosto sediou o “Encontro Preto” na Praça 22 de Agosto. “Para o encontro chamamos uma embaixadora da Griffus, Priscila Gama, dona do Projeto das Pretas, em Vitória , hoje ela nos representa”, disse Damayana.

Com o encontro em Linhares, as meninas criaram o grupo de Whatsapp “Pretos de Linhares”, e é nesse grupo que também compartilham relatos de pessoas comuns, sobre preconceitos velados, dentro da própria casa. “Pessoas que não têm com quem falar, viram na gente o mesmo sofrimento. Trabalhamos com a Verinha e Bueno Sfalssin, com quem também é feito o trabalho fotográfico”, relata Damayana.

Palestras

E quem pensa que as belas negras limitam-se às redes sociais, engana-se: No ensaio fotográfico de Bueno tem professoras e coordenadoras, e são por conhecimento delas, nas escolas em que trabalham, que mais uma porta para expulsar o preconceito foi aberta. “Ministramos palestras, isso é a abertura para podermos falar com as crianças, e quem quiser chamar a nossa equipe, basta entrar em contato que iremos”, propagou a integrante do grupo.

Sempre tive vontade de falar sobre isso

Completamente superada com relação às humilhações vividas por ser negra, Damayana Santos Batista, desabafa: “Eu sempre tive vontade em poder falar sobre isso, já que aquela vez (quando ela foi manchete no Eu Vi em Linhares por uma situação de racismo) não foi a primeira que sofri racismo aqui em Linhares. Quando a Bueno e a Verinha me convidaram para participar das fotos, vi uma oportunidade em poder falar, ter voz, e foi assim, através delas, e das fotos, que ganhamos vida. Ganhamos visibilidade das pessoas. Hoje eu converso também nas palestras, ajudo na organização, nas divulgações das fotos e dos eventos do projeto,”, concluiu Damayana.

As palestras são gratuitas, bem como os encontros. Quem se interessar deve entrar em contato através dos telefones (27) 99966-6512, 99666-2090 e 99974-7302.