Meio Ambiente

Proposta de vereador pode colocar em risco abastecimento de água em Linhares

Postando em: 56601

Preocupado com a crise hídrica, o vereador Fabrício Lopes fez, neste sábado (16), na rede social, uma declaração com diversos itens com o título “Racionamento X Políticas Públicas”. O edil fala que esteve reunido com o representante do Poder Executivo Municipal, em busca de maiores informações e esclarecimentos relativos ao racionamento da água em Linhares. Nas considerações, Fabrício lembra: “O Rio Doce sempre fez a limpeza natural do Canal do Rio Pequeno” e diz, ainda, “Em minha modéstia opinião acho que não seria o momento de fazer o processo de limpeza superficial do Canal do Rio Pequeno”.
Contudo, o que mais chama a atenção é a afirmativa “também se faz necessário a abertura da barragem do Rio Doce, pois a água está presa”. O vereador também destaca que “acima de tudo, é importantíssimo nesse momento a consciência ambiental e hídrica da população, evitando o desmatamento e desperdício da água que a cada dia está cada vez mais escassa”.
E o vereador continua: “Quanto ao Poder Público, é importantíssimo discutir e por em prática Políticas Públicas voltadas ao Meio Ambiente e Recursos Hídricos, com ações de preservação da flora e mananciais, despoluição de lagoas, educação ambiental e proteção da fauna”.
Em contato com o vereador, na manhã deste domingo (17), a fim de colhermos mais informações sobre a abertura da barragem que evitou a entrada dos rejeitos de minério - que vieram de Mariana, MG, e contaminaram o rio Doce - no rio Pequeno, a ligação não foi atendida.
Em contato com a Prefeitura de Linhares, a assessoria de comunicação disse: “Se a barragem for retirada haverá a entrada de lama da Samarco e o comprometimento do abastecimento, que atingiria 80 mil pessoas. A barragem foi feita com autorização de órgãos ambientais e judiciais”.
Nós também conversamos com um especialista no assunto, mas ele pediu para não ter o nome divulgado “para evitar perseguição”. A consideração é que a hipótese de abrir a barragem, conforme sugerido pelo vereador, “deve ser esquecida”. O motivo, segundo o profissional, é a contaminação do Rio Pequeno com os rejeitos de minério da Samarco. “Todos podem observar que a água do rio Doce clareou, mas a lama contaminada está no fundo e, além da lama no fundo do rio, a estação chuvosa está próxima. Com a chuva, o material que está no fundo será revelado e irá para o rio Pequeno e, consequentemente, para a Lagoa Juparanã, que recebe água do rio Pequeno através do rio Doce”, disse o profissional.