Colunistas

Zenilton: os linharenses estão morando uns sobre os outros

Postando em: 2119

Quem reside em Linhares, talvez nem tenha percebido, mas nossa paisagem urbana está mudando. Uma das principais causas está relacionada com o processo de verticalização provocado pela expansão imobiliária. Ou seja, cada vez mais, os linharenses estão morando uns sobre os outros. Não sei se isto é bom ou ruim.
A preocupação é com a forma como isto está sendo feito. Lógico, não sou a pessoa mais indicada para abordar um tema tão complexo. A proposta é apenas de provocar uma discussão, já que nossa qualidade de vida é diretamente influenciada pelas condições de habitação.
Sabemos muito bem que fortes interesses econômicos dão as cartas neste cenário e que uma expansão imobiliária fora de controle provocaria consequências danosas irreversíveis. Portanto, antes que seja tarde, é necessário estimular o debate, lançar uma luz sobre a maneira como a cidade vem crescendo.
Sabemos que o recente incremento das atividades industriais, provocou um aumento populacional surpreendente, talvez o maior de toda a história de Linhares, se considerarmos o período compreendido pelos últimos 15 anos. E a verticalização, ou seja, a construção de grandes e inúmeros prédios, surge como uma tendência quase natural- e universal- e inevitável. Ou seja, a cada dia, o linharense está morando mais em apartamentos.
Até aí, tudo bem. O problema, é que esta modalidade provoca alguns problemas como, por exemplo, diminuição da circulação de ar devido à redução do espaço físico para a construção. Também gera o adensamento de pessoas. Quer dizer, tudo isso tem que ser muito bem administrado para que a verticalização traga mais benefícios do que impactos negativos. Talvez já esteja na hora de engenheiros e urbanistas, ancorados pelo poder público municipal, iniciarem um estudo com o propósito de avaliar a qualidade do crescimento urbano linharense. E, como estamos vivendo um período eleitoral, é importante que os candidatos dediquem parte de suas atenções a algumas ferramentas fundamentais no sentido de disciplinar o processo de crescimento urbano, como o Plano Diretor de Linhares e a Lei Complementar nº 13(2012)_, que dispõe sobre o uso e ocupação do solo urbano do município.
Zenilton Custódio é jornalista