Colunistas

Eleição 2016: Zenilton fala de corrupção e destaca “é hora de cortar o mal pela raiz”

Postando em: 1421

A campanha eleitoral só começa 45 dias antes da data da votação, em outubro, mas já estamos vivendo o clima. É hora de cobrar coerência de quem passou o ano de 2015 e este, sentando a lenha na corrupção e nos corruptos.
Agora vamos ver quem estava falando da boca pra fora e quem realmente acredita que só vamos acabar com o problema realmente praticando o que pregamos. E não existe melhor oportunidade para isto do que enfrentar os corruptos em nosso próprio município, no local onde residimos, trabalhamos, tomamos nossa cerveja e passamos a maior parte de nossas vidas. Ou seja, vamos atacar o mal pela raiz.
De que adianta sentar o pau na corrupção de Brasília e receber um corrupto em nossa casa, de braços abertos? Aí você tá de brincadeira. Seria o mesmo que apoiar a luta contra o mosquito da dengue, mas deixar a caixa d’água de sua casa, destampada; o mesmo que dizer que é ambientalista, porém não se importar com o problema dos cães abandonados.
É hora de mostrar, que nosso discurso contra a corrupção não existe apenas para alimentar papo no Facebook. Que não somos contra os corruptos apenas no mundo virtual, mas também e, principalmente, no mundo real. Não podemos dar um voto, do qual sentimos vergonha; que não podemos revelar pelo fato de nosso candidato ter um forte histórico de corrupção.
Votar contra os corruptos e contra a corrupção, significa respeitar o futuro de nossos filhos. Ao ceder nossa confiança para um político que já demonstrou não merecê-la, não estaremos apenas assinando um atestado de ingenuidade, de total despreparo, mas, sobretudo, comprometendo o futuro de nosso município, de nossos jovens e de nossos filhos.
Não podemos entregar nossa principal arma, que é o voto, nas mãos de pessoas desonestas. Ele, com certeza, a usará contra nossas famílias.
Zenilton Custódio é jornalista