Colunistas

Zenilton Custódio: Lobão canta, provoca Dilma e se diverte

Postando em: 2782

Quando disseram que o Lobão estaria em Linhares, quase não acreditei. Apesar de estar do lado dos petralhas, sou fã de mão cheia do roqueiro. Alguns colegas que são contra o impeachment da Dilma, torceram o nariz.
Mas dias antes, quando nem imaginava que algum dia o Lobão poderia cantar em minha terra, pois aqui só costuma rolar sertanejo e arrocha, escrevi um artigo no Facebook destacando que o fato de Lobão ser um coxinha, não desmerece em nada sua arte e sua obra. Portanto, para ser coerente, decidi ir ao show.
Quando Lobão pisou no palco, exatamente às 23 horas, muita gente já tinha ido embora. Mas antes de falar sobre o show devo destacar que por volta das 19 horas, o artista já estava perambulando pelo campo do América, trajando calção camisa e chinelo, provocando o maior frisson. Lobão chegou a Linhares acompanhado da equipe que lhe dá suporte. Não cobrou cachê. Se sensibilizou com o drama das vítimas do acidente provocado pela Samarco.
Quando pisou no palco, lá estavam seu banquinho e uma mesinha com uma taça de vinho e outra de água.
Apesar do público ser pequeno, foi aquela loucura. Lobão parece não ter esquentado a cabeça com o fato de ter pouca gente. Fez um show digno dos palcos mais nobres. Seus principais hits, que o público sabia de cór, estavam lá: Me Chama, Rádio Blá, Vida Bandida, Vou te Levar, Essa Noite Não, entre outras. Animado, brincava com o público a cada música, parecia relaxado, feliz por estar ali. Seu show se estendeu até o início da madrugada
E o assistente toda ora enchia a taça de Lobão. Até então o cantor não havia tocado em política. Mas na medida em que o vinho foi subindo em sua cabeça, lá pelo finalzinho, começaram as provocações contra Dilma. Transformou a música Vida Bandida em Dilma Bandida. Alguns petralhas não gostaram, mas optaram por levar tudo na brincadeira, ou seja, não levar aquilo a sério. Foi melhor assim.
Quando terminou o show, a plateia, insaciável, pediu bis. Lobão voltou e cantou mais três para delírio dos fãs que, depois, enfrentaram uma longa fila para tirar foto ao lado do astro roqueiro.
Mas Lobão não foi a única atração. Logo depois dele, se apresentou uma banda de rock, que tocou quase até às três da manhã, levando os roqueiros ao orgasmo. Também teve Pedro Sampaio, Pedro Mendes e Manoel, entre várias outras. Foi uma noite memorável para a música. Pena que, apesar de tratar- se de um show beneficente, que visava amparar vítimas da tragédia da lama, e que só cobrava a doação de um quilo de alimento não perecível, o público foi pequeno.
Zenilton Custódio é jornalista
OBS: A foto é do internauta Rafael Barbosa